Você está lendo:
100 DIAS DE OPERAÇÃO: “Vamos inquietar aqueles que cometem crimes”, afirma Galindo
0

100 DIAS DE OPERAÇÃO: “Vamos inquietar aqueles que cometem crimes”, afirma Galindo

by newsmtfevereiro 4, 2016

Carga Máxima foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (04) na Grande Cuiabá

A operação “Carga Máxima” deflagrada pelas polícias Civil e Militar nesta quinta-feira (04) na Grande Cuiabá continuará por mais 100 dias, informou o secretário de Estado de Segurança Pública, Fábio Galindo.

De acordo com o secretário, o objetivo da operação é combater os crimes de homicídio, tráfico de drogas, roubo, furto e receptação, que têm sido constantes na Capital e Várzea Grande.

Pela manhã, nove pessoas foram presas nos bairros Pedregal, Renascer, Itamarati e Leblon, considerados os mais críticos de Cuiabá.

Além disso, foram apreendidos mais de 500 celulares, R$ 13 mil, três armas, sendo uma delas uma pistola 380, 60 munições, 8 quilos de maconha e 300 gramas de pasta-base de cocaína.

“Essa operação é desenvolvida em etapas, fizemos uma etapa prévia no interior, onde mais de 700 pessoas já foram presas e hoje fizemos uma etapa prévia forte na região metropolitana. Continuaremos ao longo do carnaval com uma operação que se chama precisão”, afirmou Galindo.

“A operação precisão tem o alvo específico, sabe em qual boca de fumo quer chegar, sabe qual criminoso quer perseguir, e nós passaremos a inquietar aqueles que, durante o Carnaval, sobretudo, pretendem cometer crimes”, completou o secretário.

Ao todo, 34 mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo Poder Judiciário de Mato Grosso. Desses, 26 já foram cumpridos durante a operação.

“O criminoso não pode se sentir seguro, o criminoso não pode ter paz, quem tem que ter paz é o cidadão de bem. Inquietando o criminoso, daremos tranquilidade para a sociedade”, disse Galindo.

Comércio clandestino

Os celulares apreendidos na operação foram encontrados em uma loja de assistência técnica no bairro Pedregal.

O secretário Fábio Galindo acredita que o estabelecimento fomentava o comércio clandestino de aparelhos eletrônicos.

Ele recordou que 53% dos roubos e furtos que ocorrem na Grande Cuiabá são de aparelhos celulares. Esse tipo de roubo alimenta o tráfico de drogas e, consequentemente, colabora para o alto índice de homícidios.

De acordo com o secretário, os aparelhos passarão por uma perícia para identificar suas origens.

“Não dá para dizer que todos são roubados, mas também não dar para dizer que todos são corretos”, disse o secretário.

Galindo disse que o cidadão que foi vítima de furto ou roubo de celular nos últimos dias pode comparecer à Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), localizada na rua Manoel dos Santos Coimbra, nº 228, bairro Bandeirantes, em Cuiabá, para saber se o aparelho foi recuperado.

A pistola calibre 380 com 60 munições também foi apreendida na loja.

Repressão

O coronel da Polícia Militar Rhaygino Sarfy Setúbal disse que a operação “Carga Máxima” poderá ser prorrogada, caso seja necessário.

“Tudo que for necessário para evitar que os criminosos cometam crimes, será feito”, disse.

O coronel afirmou que a PM atuará de forma repressiva nesses 100 dias.

“Vamos reforçar o policiamento em todos os bairros críticos”, afirmou.

A operação

Conforme Galindo, a operação é uma estratégia para redução da criminalidade, com o emprego de todo o efetivo operacional, num trabalho conjunto entre policiais civis e militares.

“A Operação Carga Máxima é baseada num minucioso levantamento do setor de inteligência para a identificação desses pontos de venda de drogas e das principais lideranças criminosas, especialmente as que possuem mandados de prisão em aberto”, assinalou.

Com Midia News

About The Author
newsmt