Você está lendo:
ANTT define reajuste de tarifas de pedágio na BR-163

ANTT define reajuste de tarifas de pedágio na BR-163

pedagio-163-364-foto-viviane-petroli-agro-olhar5(1)

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) definiu os termos do reajuste anual da tarifa de pedágio na BR-163 em Mato Grosso e a cobrança dos novos valores começa a vigorar a partir da zero hora de 6 de setembro nas nove praças de pedágio. A confirmação em detalhes foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (5).

As tarifas são reajustadas com base no índice da inflação do período (IPCA). Na prática, os valores atuais terão acréscimos que variam de R$ 0,40 a R$ 0,90 (confira a tabela abaixo). É importante ressaltar que a cobrança praticada em cada praça de pedágio varia de acordo com a sua área de abrangência, definida no contrato de concessão.

O índice de reajuste definido e aprovado pela Agência é de 13,2%. A maior parte dele é referente à inflação no período de 12 meses, que foi de 8,74%. O restante do acréscimo, 4,46%, é referente à Lei dos Caminhoneiros, que entrou em vigor em março de 2015. O texto da legislação isenta a cobrança de eixos suspensos de caminhões vazios e dobra a tolerância do peso por eixo nos veículos comerciais. Este caso se aplica a todas as concessões federais do Brasil.

A Rota do Oeste ressalta que a arrecadação do pedágio é a única atividade que remunera os investimentos realizados pela Concessionária e garante serviços como os atendimentos médicos e de guincho, a inspeção e a conservação contínua da rodovia e as obras de duplicação e recuperação.

Atendimentos

Desde o início da prestação de serviços nas rodovias BR-163, BR-364 e dos Imigrantes, a Rota do Oeste já realizou mais de 211 mil atendimentos nos 850,9 quilômetros sob concessão, além de auxiliar em outras 483 ocorrências fora do trecho.

As equipes são responsáveis pelos mais diversos trabalhos, desde o recolhimento de objetos na pista à prestação de socorro e resgate de vítimas de acidentes, sempre com foco na garantia da segurança e preservação da vida.

Para assegurar a cobertura de todo o trecho sob concessão, a Rota do Oeste conta com 18 bases de Sistema de Atendimento ao Usuários (SAU), uma a cada 47 quilômetros, em média. As unidades dispõem de ambulância, guincho leve, guincho pesado e equipes de inspeção que monitoram toda a rodovia. Há ainda cinco caminhões pipas para atender a ocorrências que envolvem fogo ou risco de incêndio.

Reprodução

Rádio Tangará com Gazeta Digital