Você está lendo:
ASSESSORIA ÀS CPIS: Deputados cobram explicações sobre contrato de R$ 20 milhões

ASSESSORIA ÀS CPIS: Deputados cobram explicações sobre contrato de R$ 20 milhões

Mesa Diretora contratou serviços de consultoria e mão de obra para as CPIs

Os deputados que compõem a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as obras da Copa do Mundo, cobraram explicações da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, a respeito do convênio de R$ 20 milhões, firmado com a Unemat (Universidade Estadual de Mato Grosso).

O contrato para serviço de consultoria e contratação de mão de obra para todas as CPIs em andamento na Casa circulou no Diário Oficial do Estado do dia 7 de agosto.

“A Mesa Diretora precisa assumir a postura sobre as contratações e explicar o objeto do convênio com a Unemat”

Para o relator da CPI da Copa, deputado Mauro Savi (PR) afirmou que a Mesa Diretora precisa se posicionar sobre o convênio e explicar aos parlamentares quais serão os serviços prestados pela Unemat.

Isto porque, em junho, houve a contratação da empresa CSL Consultoria e Assessoria Ltda., para prestar os mesmos serviços, no valor de R$ 973 mil.

Este convênio, no entanto, acabou sendo revogado, tendo em vista o fato de a contratação da CSL ter sido formalizado por meio de dispensa de licitação.

“É preciso esclarecer que houve um erro administrativo na contratação da equipe técnica, pois não é a CPI quem contrata, mas sim a Mesa Diretora, que precisa assumir a postura sobre as contratações e explicar o objeto do convênio com a Unemat”, disse Savi.

“A despesa da CPI da Copa não é de R$20 milhões e precisamos deixar isto claro para a sociedade”, completou o deputado Silvano Amaral (PMDB).

CPI retomada

Os trabalhos da CPI da Copa foram retomados no último dia 25, após mais de 60 dias de paralisação.

O presidente da CPI, deputado Oscar Bezerra (PSB), inclusive, já chegou a afirmar que existe uma tentativa de travar os andamentos da comissão.

Segundo ele, após os problemas com a CSL, diversos membros da equipe deixaram os trabalhos da comissão por conta da falta de pagamento.

“A equipe, de um modo geral, perdeu várias pessoas, se esfacelou. Porque ninguém fica 60 dias sem remuneração, como foi o caso. Então, eles conseguiram prejudicar e muito a CPI. A começar pela Mesa Diretora. Porque o processo licitatório da CSL foi errado. Não sei se foi tendencioso, se houve erro ou se foi proposital. Tenho minhas dúvidas. Mas vou ter que procurar a presidência para entender o volume do contrato com a Unemat. Foi um valor muito acima do que realmente necessita. Isso nos deixa preocupado”, disse.

Oitivas

Os membros da CPI que investiga as obras do Mundial voltam a se reunir na próxima terça-feira (1).

Na ocasião, serão definidos os próximos nomes para convocação das oitivas. Entre as pessoas que devem ser convocadas estão o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e o ex-secretário da Copa, Maurício Guimarães.

Fonte: Do Mídia News