Você está lendo:
ATÉ QUE ENFIM: Taques firma termo de R$ 50 milhões para retomar obras da Copa
0

ATÉ QUE ENFIM: Taques firma termo de R$ 50 milhões para retomar obras da Copa

by newsmtoutubro 21, 2015

Secretaria de Cidades irá apresentar cronograma; as obras serão retomadas em 15 dias, em Cuiabá e VG

O governador Pedro Taques (PSDB) assinou, nesta terça-feira (20), oito Termos de Ajustamento de Gestão (TAGs) com o Tribunal de Contas (TCE-MT) e empreiteiras para a retomada de seis obras da Copa do Mundo, no valor total de R$ 50 milhões.

De acordo com o governador, em até 15 dias, assim que for concluído o cronograma de início e término, as obras serão retomadas.

Estão no pacote a duplicação da Rodovia Mário Andreazza e da Estrada da Guarita, em Várzea Grande, Complexo Viário do Tijucal, Trincheira Santa Rosa e do Verdão e a construção do muro limítrofe Aeroporto/UFMT/Vila Militar.

Outras 14 obras também serão retomadas nos próximos dias, entre elas a conclusão da Arena Pantanal. Ao todo, o Governo irá investir R$ 165 milhões.

“Nós esperamos esse tempo todo porque tivemos a necessidade de fazer levantamento obra por obra, cada erro de projeto, cada falha, os vícios, para que possamos terminar sem que a nossa administração fosse responsabilizada por algo que efetivamente não fizemos”, disse o governador.

“A partir desta data, com esses resultados, o Estado pode retomar o que não foi concluído. A ideia é que possamos reiniciar logo, porque já temos uma parte dos recursos orçamentários e financeiros para que isso seja realizado”, disse Taques.

Segundo Taques, os recursos vieram de dotações orçamentárias da Fonte 100.

“O Estado não tem receio de auditoria. Nossa administração conta com auxílio do TCE para que possamos resolver esse problema, que é de todos nós. E obra parada, inacabada não é prejuízo para o Governo do Estado, mas, sim, para a população mato-grossense”, afirmou.

O conselheiro do TCE, José Carlos Novelli, afirmou que Taques foi “responsável” ao não dar continuidade nas obras antes de auditar tudo o que foi realizado.

“Todos sabemos em que situação você encontrou essas obras paradas. Deixo meu testemunho de que você foi muito responsável quando decidiu, mesmo sofrendo desgaste, porque a sociedade cobrava o reinício das obras, não reiniciar antes de passar tudo a limpo”, disse.

Já o presidente do Tribunal, Waldir Teis, ressaltou que, durante a execução das obras, o TCE fiscalizou e identificou diversos problemas e irregularidades.

“O Tribunal de Contas fiscalizou rigorosamente, levantou vários problemas, várias irregularidades, determinou a suspensão de algumas, várias medidas cautelares formulando medições. Enfim, agora não adianta mais ficarmos olhando para o passado. O Tribunal e o Governo, nessa parceria, pretendem terminar as obras com qualidade técnica. E isso vai acontecer”, afirmou.

Segundo o secretário de Estado de Cidades, Eduardo Chiletto, o TAG assinado agora difere do anterior, assinado na gestão Silval Barbosa (PMDB), por conta da também assinatura das empreiteiras.

“Pela primeira vez, as empreiteiras passam a assinar um TAG. E assumem a responsabilidade para poder tocar as obras. A nossa responsabilidade, agora, é de fiscalização e enquadramentos pontuais. A responsabilidade deles é de corrigir os erros encontrados por nós”, disse.

Dois dos oito TAGs assinados são para empresas de consultoria, para supervisão e gerenciamento do andamento das obras.

“Estamos retomando oito obras e entrando com processo para dar início a outras 14. Isso vai fechar, em até 10 dias, todas as obras da Copa. Temos 15 dias para apresentar o cronograma  para o TCE, de modo que eles acompanhem todo esse processo junto conosco. Além disso, teremos a supervisão de empresas de consultorias”, completou o secretário.

Fonte: Do Midia News

 

About The Author
newsmt