Você está lendo:
Câmara devolve mais de R$ 990 mil ao Poder Executivo

Câmara devolve mais de R$ 990 mil ao Poder Executivo

Hélio da Nazaré (PSD) fez, em nome do Poder Legislativo, a devolução de R$ 990 mil ao Município de Tangará da Serra. A devolução foi feita nesta sexta-feira, dia 28. Os recursos são oriundos de saldo positivo do duodécimo recebido pela Câmara e de juros de aplicação financeira.  Segundo o presidente da Câmara, a devolução só é possível graças a uma gestão eficiente que consegue economizar e, ao mesmo tempo, prestar serviços de qualidade, respeitando os princípios da administração pública.

“A economia foi conseguida pela otimização, evitando desperdícios e moderando gastos, o que só foi possível com o esforço da Mesa Diretora, de todos os vereadores e servidores”, avalia Hélio da Nazaré, ao lembrar que na atual gestão a economia gerada já resultou na devolução de um total de mais de R$ 2 milhões e 600 mil. “Utilizando de forma eficiente os recursos, primando pela economicidade, auxiliamos o Município na solução de problemas da cidade”, avalia o presidente.

Hélio da Nazaré explica que a Câmara tem feito as devoluções e, ao mesmo tempo, mantido diálogo com o Poder Executivo solicitando que os recursos sejam aplicados especialmente na saúde pública. “Os vereadores têm contato direto com as pessoas, nas ruas e o que elas pedem que sejam priorizados os investimentos na Saúde. Por isso, essa é a nossa sugestão ao prefeito”, revela Hélio.

NÚMEROS – A devolução de duodécimo foi feita no valor de 938 mil 591 reais e 61 centavos. Os juros de aplicação financeira somaram 52 mil 319 reais e 83 centavos, totalizando a devolução de 990 mil 911 reais e 44 centavos.

QUEDA – Hélio da Nazaré destacou que mesmo com a queda do duodécimo a Câmara Municipal continuou a gerar economia. A queda ocorreu em função do aumento do número de habitantes de Tangará da Serra, confirmado oficialmente pelo IBGE. Acontece que, de acordo com a emenda constitucional 58/09, em cidades com mais de 100 mil habitantes o Legislativo Municipal deixa de receber 7% da receita do município, passando a receber 6%.