Você está lendo:
Concessionária afirma que recuperação está concluída e diz cumprir normas do DNIT
0

Concessionária afirma que recuperação está concluída e diz cumprir normas do DNIT

by newsmtjulho 13, 2015

Em resposta à matéria publicada na última sexta-feira, onde motoristas reclamam das condições em que a rodovia BR-163 sem encontra, trecho concedido à iniciativa privada, a Concessionária Rota do Oeste concedeu entrevista à redação do Nortão Notícias.

Segundo a assessoria, a empresa efetuou toda a sinalização e recuperação da camada asfáltica no perímetro em que está responsável. “A Rota do Oeste concluiu em março deste ano a recuperação emergencial de todo o pavimento nos trechos sob sua responsabilidade. Além disso, revitalizou toda a sinalização e realizou a limpeza da rodovia com a roçada da faixa de domínio, algo inédito na rodovia. A manutenção será contínua ao longo dos 30 anos de concessão”, comentou.

Quanto às pinturas na faixa de rolamento, a empesa garantiu que segue os padrões estabelecimentos pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). “A sinalização horizontal (pinturas na faixa de rolamento) realizada pela Rota do Oeste obedece a todos os padrões de qualidade estabelecidos pelo DNIT, obedecendo ao limite máximo de espessura permitido para Rodovias Federais, que é de 15 centímetros”, afirmou.

Já a sinalização dos radares e seu funcionamento por completo estão sob o comando do DNIT. “Os radares em funcionamento na BR-163, bem como a responsabilidade sobre sinalização dos equipamentos, são operados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). A Concessionária não tem atribuição para autuar”.

O trecho entre Rosário Oeste e Várzea Grande, onde encontra-se em más condições de tráfego, a concessionário informou que ele está sob administração do DNIT. “A Rota do Oeste faz intervenções em 450 quilômetros dos 850,9 concessionados. São eles: da divisa com o Mato Grosso do Sul até Rondonópolis; a rodovia dos Imigrantes (Contorno de Cuiabá/Várzea Grande) e do Trevo do Posto Gil, em Diamantino, até Sinop. Os demais trechos, entre Rondonópolis e Cuiabá e de Várzea Grande ao Trevo do Posto Gil, as obras são realizadas pelo DNIT”, explicou.

As praças de pedágio já estão concluídas, no entanto a cobrança deverá ser iniciada a partir de agosto quando for concluída 10% da duplicação total. Além disso, a Rota do Oeste precisa da autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que a atividade entre em pleno funcionamento.

A exigência é que a concessionária cumpra três condicionantes estabelecidas no contrato. “1ª – Operação plena do Sistema de Atendimento ao Usuário (SAU) – Iniciada em setembro de 2014; 2ª – Entrega do conjunto de obras de recuperação e manutenção dos 450 km sob responsabilidade da empresa – Entregue em março de 2014 e 3ª – Duplicação de 10% do trecho (45 km) – Previsão para o fim de julho de 2015”, concluiu.

O preço da taxa de pedágio ainda não está definido. Segundo a assessoria, deverá passar por uma atualização de acordo com a inflação registrada no período em que foi assinado o contrato até o início da cobrança. “Também deverá haver um impacto no valor da tarifa por conta do reequilíbrio ocasionado pela Lei do Caminhoneiro, sancionada no início do ano. A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) é responsável pela realização do cálculo final da tarifa e pela publicação em Diário Oficial”.

Apenas os veículos oficiais como Corpo de Bombeiros, Exército, Polícia Rodoviária Federal, ambulâncias e outros, serão isentos do pagamento.

Fonte: Nortão Noticias

About The Author
newsmt