Você está lendo:
Concessionária investirá R$ 2,8 bilhões em cinco anos na rodovia
0

Concessionária investirá R$ 2,8 bilhões em cinco anos na rodovia

by newsmtoutubro 13, 2014

A empresa Rota do Oeste, que detém a concessão da BR-163 investirá R$ 2,8 milhões na duplicação de 450 quilômetros da BR-163 entre a divisa com o Mato Grosso do Sul até Rondonópolis, no contorno de Cuiabá e Várzea Grande (Rodovia dos Imigrantes) e do Posto Gil, em Diamantino, até Sinop. A duplicação dos outros 400 quilômetros está sob responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

O valor investido é praticamente o mesmo feito em Cuiabá e Várzea Grande em logística e infraestrutura de transportes para a realização da Copa do Mundo 2014, onde foram investidos R$ 2,83 bilhões, conforme dados da Secretaria Extraordinária de Apoio à Realização da Copa (Secopa).

A concessionária também já realiza melhorias a curto prazo, como a recuperação emergencial e profunda do pavimento, a instalação e recuperação da sinalização, limpeza e roçada da faixa de domínio. Serviços como esses serão contínuos até o fim do período de concessão, que é de 30 anos. Durante este tempo, a previsão de investimento na rodovia que corta todo o Estado é de R$ 5,5 bilhões. Para a Copa do Mundo, a estimativa é que foram investidos R$ 5,3 bi em todas as obras realizadas no Estado, incluindo a Arena Pantanal.

Os serviços de atendimento ao usuário tiveram início no último dia 20 de setembro e compreendem 855 quilômetros com inspeção de tráfego 24 horas por dia, 18 ambulâncias, 26 guinchos, 10 caminhões-pipa e de apreensão de animais e 18 bases de atendimento aos usuários à disposição a qualquer hora, todos os dias. Cerca de 500 pessoas estão mobilizadas, sendo 280 contratados diretamente e 216 de forma indireta.

Entre as próximas ações previstas está a construção de 43 obras de arte, entre viadutos, contornos, acessos, passarelas e marginais urbanas, que trarão melhorias aos 19 municípios que são cortados pela rodovia. Estas obras serão realizadas a partir do sexto ano de concessão, com a conclusão da duplicação.

“A rodovia é e será por anos uma das principais rotas de escoamento da produção. Mesmo com a abertura de novos caminhos pelo Norte, os portos de Paranaguá e Santos serão utilizados pelo produtor”, afirma o diretor-executivo do Movimento Pró-logística, Edeon Vaz.

Conforme o diretor-geral da concessionária, Paulo Lins, “A BR-163 terá um dos pedágios mais baratos do país, com a tarifa básica de R$ 2,66 por eixo a cada 100 quilômetros. Este valor, que será corrigido pela inflação vigente quando for iniciada a cobrança, foi alcançado porque, entre outros fatores, há a possibilidade de financiamento. Assim, o objetivo de transformar a rodovia sem comprometer o desenvolvimento econômico e, até impulsionando o agronegócio, foi alcançado”.

Na avaliação do secretário de Estado de Transportes e Pavimentação Urbana, Cinésio Nunes de Oliveira, “Os impactos são em toda a cadeia produtiva, com a maior trafegabilidade e redução de custo. Mas haverá, principalmente, o ganho social. Vidas serão preservadas a partir da duplicação da rodovia”, concluiu.

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?