Você está lendo:
Copa Marechal Rondon – Congresso irá definir últimos detalhes da competição:
0

Copa Marechal Rondon – Congresso irá definir últimos detalhes da competição:

by Radio Tangarájunho 8, 2016
Equipes de diferentes regiões de Mato Grosso se reúne em Cuiabá para debater a organização da Copa Marechal Rondon de futebol amador.

O Campeonato de Seleções Municipais de Futebol Amador de Mato Grosso – Copa Marechal Rondon – está na reta final de preparação. A próxima etapa é o congresso técnico, que será realizado no próximo dia 25, a partir das 09h, no ginásio Aecim Tocantins em Cuiabá. O evento serve para debater a organização da competição com as equipes participantes do campeonato.

Na pauta do congresso vão estar assuntos como: o regulamento do campeonato, distribuição das equipes nas microrregiões e a elaboração da tabela da primeira fase da copa. Além disso, também estarão na pauta questões financeiras como pagamento da arbitragem e ajuda de custo para transporte das equipes.

O Amadorzão é organizado pela Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc-MT) e conta com o apoio da Federação Matogrossense de Futebol. Até o momento, cerca de 80 equipes já se inscreveram para o campeonato, que tem previsão para começar na primeira quinzena de julho.

Na edição desse ano o evento vem com um diferencial. Além de troféu e medalhas, as duas equipes que chegarem à final terão direito de disputar a segunda divisão do Campeonato Matogrossense de Futebol. De acordo com o coordenador de Esportes de Rendimento e Participação da Seduc, Hélio Machado, o objetivo dessa proposta é fortalecer o futebol profissional no Estado.

Além disso, ressalta Machado, o Amadorzão vai revelar novos talentos que poderão ser contratos por clubes profissionais de Mato Grosso ou de fora do Estado. “Existe muita garotada boa de bola que não tem a oportunidade de mostrar o seu futebol. Então essa competição será uma vitrine para esses atletas”, enfatizou.

Ele também ressaltou que o Amadorzão irá absorver os atletas que já não podem competir nos jogos estudantis, por conta do limite de idade. “É preciso dar oportunidade para essa garotada que fica sem competir e abandona o esporte”, afirmou o coordenador de esportes da Seduc.

 

About The Author
Radio Tangará