Você está lendo:
Corpo de empresário é encontrado em marina do Lago de Manso
0

Corpo de empresário é encontrado em marina do Lago de Manso

by newsmtoutubro 23, 2014

Thiago Rockembach, 32 anos, estava desaparecido desde a noite de sábado passado

O corpo do advogado e empresário Thiago Rockembach, 32 anos, que estava desaparecido desde o último sábado (18), foi encontrado na tarde desta quarta-feira (22), na Marina do Altair, região do Morro do Chapéu, no Lago do Manso (100 km ao Norte de Cuiabá).

O local exato onde o corpo estava boiando é chamado de Praia do Amor, a mesma região onde as embarcações de Thiago foram encontradas no domingo.

O Instituto Médico Legal (IML) da Capital já foi acionado e uma equipe com peritos se deslocou à região para começar os trabalhos.

Rockembach, segundo informações preliminares de duas jovens que estavam com ele na lancha, no último sábado (18), pulou na água para salvar uma das meninas que estava sem colete e, por conta do tempo chuvoso, teria sido levado pela correnteza para o fundo do lago.

As jovens, de 19 e 20 anos, foram resgatadas no domingo (19), às 12h, por um casal que passeava de lancha, na região do Morro do Chapéu.

De acordo com o tio de Thiago, Hernane Khun, o corpo foi encontrado por amigos que ajudavam nas buscas.

Hoje, pelo menos 60 amigos, em 30 lanchas, estavam na região junto com motos aquáticas e, por volta das 14h40, perceberam um corpo boiando.

“A Marinha foi acionada na hora, junto com o Corpo de Bombeiros e, com isso, começou o desespero. O corpo está em estado avançado de decomposição. Foi difícil reconhecer, mas a roupa era a mesma e alguns detalhes nos auxiliaram a confirmar que era o Thiago”, afirmou Khun.

O tio de Thiago ainda agradeceu aos órgãos de segurança e amigos que se empenharam nos trabalhos de quatro dias.

“Quero agradecer quem nos ajudou: Bombeiros, Marinha, Polícia e amigos. Infelizmente, o encontramos morto, mas um dos sofrimentos passou”, disse.

“A Marinha foi acionada na hora, junto com o Corpo de Bombeiros e, com isso, começou o desespero. O corpo está em estado avançado de decomposição. Foi difícil reconhecer, mas a roupa era a mesma e alguns detalhes nos auxiliaram a confirmar que era o Thiago”

Os peritos devem informar a causa morte de Thiago no laudo de necropsia, que deve ficar pronto em 30 dias.

A morte do empresário será investigada pela Delegacia de Polícia Civil de Chapada dos Guimarães (67 km ao Norte da Capital).

A Marinha também abriu inquérito para averiguar as condições de navegação das embarcações usadas no dia do acidente.

Entenda o caso

Thiago Beckenbach estava desaparecido desde sábado (18). Segundo relatos de amigos, ele amarrou uma moto aquática na lancha e, junto com as duas jovens – uma de 19 e outra de 20 anos -, foram para o Morro do Chapéu.

Segundo ainda o relato, uma das jovens que estava sem colete caiu da lancha na água e a outra foi atrás para resgatá-la.

Em seguida Thiago, tentou ir ao encontro delas com a lancha, mas a embarcação não funcionou e, por isso, ele pulou na água.

O tempo estava chuvoso e, por ser noite, por volta das 18h30, Thiago teria sido levado pela onda e correnteza e, desde então, ficou desaparecido.

As jovens foram encontradas no domingo por um casal que passeava na região do Lago do Manso.

Elas passaram a noite na Praia do Amor e foram encontradas bastante debilitadas. Daí em diante, a Marinha começou as buscas.

Como no domingo nenhuma pista foi encontrada pelos oficiais da Marinha, na segunda-feira, o Corpo de Bombeiros entrou no caso, com seis mergulhadores atuando por dia.

O capitão de corveta Alessandro Nonato, da Delegacia Fluvial de Cuiabá, disse, em entrevista ao MidiaNews, que acreditava que o rapaz continuava vivo.

“Estamos trabalhando para encontra-lo vivo”, disse Alessandro Nonato, comandante da Marinha, na tarde de terça-feira (21).

Na terça e quarta-feira, vários amigos se juntaram à força-tarefa da Marinha e, com lanchas e motos aquáticas, ajudaram nas buscas em todo o lago, que tem extensão de 427 quilômetros quadrados.

O pai de Thiago, Wanderley Muller Rockenbach, veio do Paraná acompanhar as buscas. À reportagem, ele disse que estava muito emocionado e acreditava encontrar o filho vivo, já que o advogado frequentava a região há mais de 10 anos.

“Eu acho muito estranho ele ter se perdido aqui. Ele frequenta esse local desde antes da faculdade. Ele conhece muito bem a região, tem habilitação para lancha e moto aquática, e do nada desaparece? Há três anos, eu não o via. Só conversava com ele por telefone. E, agora, acontece tudo isso”, disse o empresário.

O corpo de Thiago será trazido do Manso para Cuiabá e, nesta quinta-feira (23), deve ser liberado à família para sepultamento.

Leia mais sobre o assunto:

Polícia Civil intensifica busca e descarta homicídio em Manso


Marinha trabalha com hipótese de que empresário esteja vivo


Advogada resgatou amigas de jovem desaparecido no Manso

Bombeiros buscam empresário desaparecido de 32 anos

MAX AGUIAR/MIDIA NEWS

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?