Você está lendo:
Crea Mato Grosso presente na visita do Ministro de Infraestrutura no Terminal Ferroviário de Rondonópolis

Crea Mato Grosso presente na visita do Ministro de Infraestrutura no Terminal Ferroviário de Rondonópolis

O Assessor Parlamentar do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), Eloi da Silva Pereira representou o presidente do Crea Mato, João Pedro Valente, sexta-feira, 14 de junho na visita do ministro de Infraestrutura, Tarcísio Freitas no Terminal Ferroviário de Cargas que é administrado  pela operadora logística Rumo, em Rondonópolis.

Eloi destacou que a mais importante notícia que o ministro trouxe é que a ferrovia que vem do Porto de Santos até a Rondonópolis passará por Cuiabá em direção do Nortão. Essa chegada da Ferrovia é crucial para o desenvolvimento dos municípios da baixada Cuiabá. Sem ela esses 13 municípios que fazem parte da baixada logo ficarão inviabilizados, pois o desenvolvimento do agronegócio é predominante no Sul e Norte Mato-grossense.

“Precisamos criar incentivos para que as indústrias do Sudeste do país venham para nossa região, e a passagem da ferrovia será de grande estimulo para o desenvolvimento industrial, criando empregos, incentivando o comercio, construções, e demais atividades econômicas”, destacou o Assessor do Crea Mato Grosso.

Já o governador de Mato Grosso Mauro Mendes, o que for feito em infraestrutura para esse Estado, devolverá em forma de arrecadação, exportação e balança comercial. “Nos ajude que nós vamos ajudar o Brasil, ampliando a malha ferroviária e a viabilização de rodovias importantes para o Estado irão promover uma revolução para todas as regiões do Estado”, disse Mendes.

Ainda sexta-feira, 14 de junho na cidade de Água Boa, durante audiência pública, sobre a implantação da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), o governador apresentou números que confirmam que com investimentos por parte do governo federal nas rodovias federais e na malha ferroviária, o Estado poderá contribuir ainda mais para o crescimento da economia brasileira.

Entre as reivindicações apresentadas pelo governador ao ministro, está pavimentação da BR-158, em seu trajeto original. “Como brasileiro, me deixa muito indignado essa história da BR-158. Como é que pode uma estrada que existe a quanto tempo, 50, 60 ou mais de 100 anos e agora, não podemos ter a estrada pavimentada”, disse, lembrando que nesses cinco meses completos como governador já recebeu no Palácio Paiaguás muitas etnias indígenas e todas querem o mesmo que todos os cidadãos do Estado, “educação, saúde, internet e estrada pavimentada”.

“A ligação das outras cidades com a BR-158 é uma responsabilidade nossa, enquanto Estado, e nós vamos fazer as ligações. Mas, não podemos permitir que umas poucas pessoas, ligadas a ONGs internacionais que defendem produtores americanos, que defendem outros interesses e não os nossos, imponham essa derrota ao povo desse Estado”, ressaltou.

Outra reivindicação é relacionada a duplicação das BRs 163 e 364, além da pavimentação da BR-174.

“Esse tema da logística é um dos mais importantes para Mato Grosso, no momento. Nenhuma região do Brasil, ou melhor, nenhuma região do planeta, tem hoje as condições que esse estado tem de crescer nos próximos anos, produzindo alimentos para alimentar o Brasil e o mundo, e o mais importante, preservando o meio ambiente. Nenhuma região produtora do planeta tem a capacidade de dobrar a produção de alimentos preservando a meio ambiente. Por isso, precisamos de estradas, de logística e que o governo federal reconheça isso e a importância de Mato Grosso para a economia nacional”, destacou.

O ministro Tarcísio afirmou ao governador que Mato Grosso é prioridade para o Governo Bolsonaro, pela pujança e potencial. “A gente quando vem para cá e vê o que viu aqui, é tomado pelo senso de urgência e muitas coisas estão sendo planejadas. Eu acho que é o Estado que vai seguramente receber a maior quantidade de investimentos”, afirmou.

Sobre a Fico, o ministro afirmou que no próximo ano a ferrovia irá sair do papel e a obra terá início. “Vamos concluir essa obra até o fim da gestão Bolsonaro”, garantiu. Ele também se comprometeu a realizar um estudo pela viabilidade da concessão da BR-158.