Você está lendo:
CRÍTICAS A DILMA: "Crise no Brasil é reflexo do roubo à Petrobras", diz Pedro Taques
0

CRÍTICAS A DILMA: "Crise no Brasil é reflexo do roubo à Petrobras", diz Pedro Taques

by newsmtsetembro 10, 2015

Governador afirma que gestão Dilma é “irresponsável” e garante que MT fecha 2015 “ajustado”

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou, durante entrevista para emissoras de rádio, nesta quarta-feira (9), que a crise econômica vivida em 2015 pelo país é reflexo de uma política “irresponsável” do Governo Federal.

Para Taques, a gestão petista, comandada pela presidente Dilma Rousseff, usou a Petrobras para fins eleitorais. A estatal é alvo de investigação da Polícia Federal, por meio da Operação Lava Jato.

“O Brasil não passa por um momento de fartura na questão econômica. Vivemos um momento delicado graças à irresponsabilidade do Governo Federal, que usou a Petrobras como instrumento de política eleitoral, que roubou a Petrobras. Agora, o resultado está vindo com desemprego, está vindo com o aumento da inflação”, disse.

“Vivemos um momento delicado graças à irresponsabilidade do Governo Federal, que usou a Petrobras como instrumento de política eleitoral, que roubou a Petrobras”

Além disso, segundo Taques, um dos exemplos da má gestão da presidente Dilma é o atraso, de dois anos, nos repasses do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX).

“Nós ajudamos muito a União e o Brasil, mas, por irresponsabilidade, por erros na prática da política econômica nacional, a União não consegue ajudar Mato Grosso como nós merecemos”, afirmou.

“Um exemplo é o FEX, que está atrasado há dois anos. São R$ 400 milhões de 2014 e 2015, que juntos são R$ 800 milhões. Com isso, daria para construirmos cinco hospitais regionais, reformarmos 750 escolas do Estado, além de colocarmos mais policiais nas ruas. Mas a União, infelizmente, não está fazendo a sua parte”, disse.

O governador lembrou que a Câmara dos Deputados aprovou, por unanimidade, na sessão da última terça-feira (8), o projeto de Lei que dispõe sobre a regulamentação do pagamento FEX.

“Isso significa que vamos ter dinheiro em caixa para saldar compromissos, fazer investimentos e honrar a folha de pagamento dos servidores. Além disso, a nossa administração não abandonará os municípios nesse momento de dificuldade”, afirmou.

Ações

De acordo com o governador tucano, mesmo com a turbulência econômica do Brasil, Mato Grosso deverá fechar o ano com as contas ajustadas.

Ele citou, por exemplo, que a folha de pagamento dos servidores está em dia, desde o primeiro mês de sua gestão.

“Mato Grosso tem reagido graças ao trabalho dos quase 100 mil servidores públicos, graças às ações políticas que tomamos desde o primeiro dia do mandato. Isto prova que Mato Grosso é um Estado que dá certo, um Estado que orgulhará cada dia mais o seu povo. Eu sou otimista e, tenho certeza, que melhoraremos o Estado nesses quatro anos”, disse.

“Engambelados”

Na última semana, Pedro Taques já havia criticado a gestão de Dilma Rousseff.

Segundo ele, a presidente tem adotado políticas que prejudicam os Estados, especialmente aqueles com a economia voltada para a produção primária, como é o caso de Mato Grosso.

Além disso, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, ele disse ser absolutamente possível discutir o impeachment da presidente.

Para Taques, afirmar que o processo seria uma forma de “golpe” é desculpa de quem está perdendo espaço político.

“É absolutamente natural que as instituições funcionem. Essa história de golpe é conversa de quem está perdendo espaço político. Falo também como professor de Direito Constitucional que impeachment não é golpe. A Constituição não proíbe investigar a presidente”, disse.

Fonte: Do Mídia News

About The Author
newsmt