Você está lendo:
Detido pela PF, Franz será colocado em liberdade nesta quinta
0

Detido pela PF, Franz será colocado em liberdade nesta quinta

by newsmtdezembro 4, 2014

Defesa do empresário Marino Franz obteve habeas corpus no Tribunal Regional Federal

O Tribunal Regional Federal (TRF), em Brasília, acatou nesta quarta-feira (3) um pedido de habeas corpus para colocar em liberdade o empresário Marino Franz, ex-prefeito de Lucas do Rio Verde.

Ele está preso desde a última quinta-feira (27) no Centro de Custódia de Cuiabá, antiga Polinter, acusado de participar de um esquema de comércio de terras da União.

Ele foi um dos detidos pela Polícia Federal, durante a Operação Terra Prometida.

A PF cumpre 52 mandados de prisão preventiva, contra acusados de fazer parte de uma organização criminosa, com forte atuação na região de Lucas do Rio Verde e, estruturada para cometer crimes de invasão de terras da União, contra o meio ambiente, falsidade documental, estelionato e corrupção ativa e passiva.

O habeas corpus foi impetrado no TRF pelo advogado Valber Melo, no último domingo (30).

Na ocasião, o desembargador Cândido Ribeiro negou liminar mas, diante de um pedido de reconsideração, a liberdade foi concedida nesta quarta, pelo juiz substituto Pablo Dourado.

Marino Franz é dono de um armazém, comprado da Bunge Alimentos, em Lucas do Rio Verde, alvo da investigação. Ele é acusado de ser o braço político e empresarial da organização criminosa.

O advogado Valber Melo, que obteve decisão favorável ao empresário

Ele deve ser liberado nesta quinta-feira (4), no período da manhã.

A operação

Segundo a PF, com o objetivo de se obter a reconcentração fundiária de terras da União destinadas à reforma agrária, fazendeiros, empresários e grupos do agronegócio fazem uso de sua influência e poder econômico para aliciar, coagir e ameaçar parceleiros ambicionando seus lotes de 100 hectares, cada um avaliado em cerca de R$ 1 milhão.

“Os investigados usavam de ações ardilosas, força física e até de armas” para comprar os lotes a baixo preço ou invadiam e esbulhavam a posse destas áreas. Em seguida, com o auxílio de servidores corrompidos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), integrantes de entidades de classe, servidores de Câmaras de Vereadores e de Prefeituras Municipais buscavam regularizar a situação do lote”, informou a PF.

Confira a relação dos 52 que tiveram prisão decretadas:

Vanderlei Lima de Souza

Adilio Armando Gabriel

Fernando Luis Marchioro

Agustinho Del Puppo

Auro Custódio da Silva

Jorge Fonseca

Antonio Alves Nogueira

Genuíno Magalhães Soriano

Ivete Fátima Zini Panzten

Geraldo Ambiel

Jairo Denicolo

Cenir José Dallabrida

Gilmar Fortes

Gilnei Fortes

Luiz Fortes

Alex Fortes

Daniel Orzechovski

Marino José Franz

Silvestre Caminski

Rui Schenkel

Donizete Casavechia

Antônio Adi Mattei

Luiz Bento Versari

Fernando Priori Zanatta

Wanderley Pastro

Francisco da Rosa

Natal Aparecido Deliberalli

Élio Faquinello

Éder Frizo Faquinello

Jesus Valdomiro Selzlien

Holivar A. da Silva Braga

Gustavo Dassoler

Bento Sangioto

Elizeu de Oliveira

Gentil Piana

Jeová Pereira

Ademir Borin

Lirio Lopes

Isaias Neri Tobaldini

Odair Geller

Milton Geller

Agildo Tadeu Prates

Jorge Luiz Denicolo

Delfino Casavechia

César Tiago Prediger

Valter Ambiel

Leciano Pedro da Silva

Vanderlei Proenço Ribeiro

Valmir João Fungueto

Joelson Nicoletti

Oscar Versari

Osmar Versari

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?