Você está lendo:
Em reunião com cúpula do PSDB, Taques defende legalidade
0

Em reunião com cúpula do PSDB, Taques defende legalidade

by newsmtdezembro 11, 2015

Governador esteve em encontro com FHC, Alckimin, Aécio e outros líderes tucanos

O governador Pedro Taques (PSDB) participou de uma reunião, na noite desta quinta-feira (10), em Brasília, com os principais líderes tucanos nacionais para alinhar o discurso da sigla em relação ao processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT).

O encontro, que começou às 19h30, foi feito a pedido do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e durou cerca de duas horas.

Além de FHC, estavam presentes os senadores Aécio Neves, José Serra, os líderes da sigla no Congresso, e os governadores Geraldo Alckimin (SP), Beto Richa (PR), Simão Jatene (PA), Reinaldo Azambuja (MS) e Marconi Perilo (GO).

“Não existe golpe. O impeachment é previsto na Constituição Federal e tem embasamento jurídico”, afirmou Taques, ressaltando que as “pedaladas fiscais” feitas por Dilma Rousseff se constituem em crime de responsabilidade.

“Falar em um golpe democrático parece um desconhecimento sobre o momento que nós vivemos. O Tribunal de Contas da União (TCU) revelou que a Presidência da República não cumpriu o que está escrito na Constituição. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está caminhando neste sentido quanto ao julgamento das contas da eleição de 2014 da presidente da República. Isso mostra que as instituições estão maduras, que a nossa democracia por ela própria, pode resolver seus problemas”, disse

Sem Fla-Flu

O senador Aécio Neves reforçou a posição. “Há um sentimento hoje em todo o PSDB de que o processo de impeachment da presidente da República ganha força.  A discussão tem que se dar em torno da acusação de que a presidente da República cometeu crime de responsabilidade. Ela deve ter todo o direito a defesa, mas há um sentimento hoje convergente dentro do PSDB de que as razões objetivas para que o impeachment venha a ser aprovado pela Câmara dos Deputados e depois pelo Senado estão colocadas”, disse.

Ele também ressaltou que o PSDB apoiará os movimentos favoráveis ao impeachment, mas pregou serenidade.

“Não queremos transformar isso em um grande Fla-Flu. Existe, hoje, no Brasil, pleno estado de direito, os pilares básicos para que essa proposta fosse colocada em votação existem, e nós temos que ter a serenidade para discuti-la não como vem fazendo a presidente da República, se defendendo de acusações que não lhe são feitas e se omitindo em relação àquelas que foram formalizadas em relação a ela”, disse.

Fonte: Do Mídia News

About The Author
newsmt