Você está lendo:
Extraordinária para definir comissões da Câmara de Nova Ubiratã tem polêmica

Extraordinária para definir comissões da Câmara de Nova Ubiratã tem polêmica

Vereador Nana não concorda com a formação proposta e afirma que o processo não foi democrático.

Deu inicio neste dia 22 de janeiro os trabalhos legislativo de Nova Ubiratã, José Afonso Canola (PPS), presidente da mesa diretora, convocou os vereadores para a primeira sessão extraordinária do ano.

De acordo com as informações, estava na pauta dois projetos de lei de autoria do poder executivo e de ultima hora entrou as formações das comissões de 2016.

Conforme o Regimento Interno da Câmara de vereadores de Nova Ubiratã, as comissões são formadas ano a ano, podendo reconduzir os mesmos vereadores que estão nas comissões por mais um ano.

O vereador Leonildo Antônio (NANA-PV), em entrevista para o site Acontece News MT, disse (reclamou), que não houve democracia nas formações das comissões e principalmente por parte do presidente da casa, José Afonso Canola.

“O vereador Canola tem o poder de escolher os presidentes e membros de cada comissão, infelizmente nessa sexta-feira, quando iniciamos os nossos trabalhos legislativo, ficou claro que alguns vereadores estão com mais privilégios do que os outros”.

“Isso não existe, esbravejou”.

“Temos os mesmos direitos e poderes, e se for para mudar alguma coisa nas comissões por pedido de um ou outro vereador, tem que ouvir os outros também. Isso sim é democracia, se o presidente da mesa diretora tem o poder de indicar-me, sem que eu queira fazer parte de alguma comissão, teria que fazer o mesmo com os demais”, ponderou.

O vereador ressaltou ainda, que após a apresentação das comissões feita pelo presidente Canola, alguns vereadores não aceitaram e pediram mudanças para algumas comissões. “É direito do partido ou bloco não aceitar, sendo assim o presidente deveria ter abrido uma votação, e não foi o que aconteceu”.

Para o vereador é importante que a população de Nova Ubiratã, saiba quem são os membros e presidentes de cada comissão, porque são eles que dão os pareceres favoráveis dos projetos antes de irem para votação final.

“Além de não haver democracia nas principais comissões, este ano as mesmas estão sendo composta com vereadores que já compõe a mesa diretora da Câmara, isso, infelizmente tende a centralizar os trabalhos em apenas três ou quatro vereadores, uma vez que deveria ser unanime”, finalizou o vereador.

Fonte: Redação