Você está lendo:
Governador mantém diálogo com servidores do Estado:

Governador mantém diálogo com servidores do Estado:

Noroeste

Em agenda pela região Noroeste do Estado, o governador Pedro Taques se reuniu com servidores do Estado para esclarecer dúvidas e pedir apoio no enfrentamento da crise econômica. Aos profissionais da educação, o chefe do Poder Executivo de Mato Grosso pediu o fim da greve que já dura mais de 50 dias.

Em Colniza, Taques destacou que o Estado trabalha com um fluxo de caixa que não é o ideal, por isso a prioridade é honrar com o salário dos servidores. Além disso, o governador ressaltou os pontos sobre a Lei Complementar 510 que prevê a dobra do poder de compra dos servidores da Educação até o ano de 2023.

Taques também esclareceu sobre o concurso público, ponto já pacificado com os servidores depois que a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) apresentou um calendário para a realização do certame.

Sobre as Parcerias Público-Privadas (PPPs) na educação, Taques lembrou que o Governo de Mato Grosso atendeu ao pleito do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep-MT) e a função de apoio educacional foi retirada do escopo da proposta. Segundo o governador, as PPPs vão abranger apenas a construção de até 50 escolas e a manutenção dessas unidades. “A merendeira, o inspetor de pátio, o professor, o diretor serão servidores públicos”, garantiu.

Na Segurança, Taques se reuniu com policiais civis, policiais militares e agentes prisionais que atuam em Aripuanã. Na oportunidade, os representantes da Polícia Judiciária Civil (PJC) agradeceram o governador pela recomposição do efetivo, feita graças ao chamamento dos 3.500 homens e mulheres nas forças de segurança pública.

Aripuanã conta com 17 policiais civis, sendo 15 investigadores e dois escrivães. Além disso, com apoio da comunidade foi possível avançar na questão estrutural da delegacia e o Governo repassou automóveis adequados com caminhonetes e veículos SUV.

Os agentes prisionais pediram ao governador a distribuição de uniformes e o aumento do efetivo. Taques destacou que as duas pautas já estão sendo discutidas no governo, sendo que o concurso público será realizado em curto espaço de tempo.

O governador destacou que fez o maior chamamento da história da Segurança Pública e que hoje a Polícia Militar tem um efetivo de 8.027 policiais.