Você está lendo:
Governo não regulamenta tabela do frete e caminhoneiros param; Sorriso vai aderir

Governo não regulamenta tabela do frete e caminhoneiros param; Sorriso vai aderir

Com o anúncio de que o governo federal não irá regulamentar a Tabela do Frete Mínimo, as rodovias federais em Mato Grosso voltarão a ser fechadas pelos caminhoneiros nesta quinta-feira (23).

Em Sorriso, o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos de Sorriso e região, Wilson Rodrigues,  disse ao Portal Sorriso MT, que a partir das 7h30 a BR-163 será bloqueada.

Como no bloqueio anterior, os manifestantes só permitirão a passagem de carros de passeio, ônibus e ambulâncias. Outros veículos de carga estarão proibidos de trafegar por esse trecho durante o protesto.

A categoria já havia comunicado em 26 de março que se não houvesse a regulamentação nesta quarta-feira (22) voltaria a trancar as rodovias. A pauta desta nova paralisação será a mesma da greve realizada entre fevereiro e março: tabela de frete e redução do preço do óleo diesel.

De acordo com Gilson Baitaca, representante dos caminhoneiros de Mato Grosso, o governo federal propôs fazer de forma referencial a Tabela de Frete Mínimo. “O governo informou que não assumirá esse compromisso e nos propôs uma tabela de forma referencial sem obrigatoriedade e isso a categoria não aceita. Portanto, a partir da meia-noite desta quinta-feira (23) as rodovias voltas a ser fechadas”, declarou.

Durante reunião no dia 26 de março o governo federal, por meio da Secretaria-Geral da Presidência da República, declarou que não poderia naquele momento regulamentar a tabela como Lei, pois a mesma poderia ser derrubada por inconstitucionalidade.

Em Mato Grosso os caminhoneiros e empresários do setor de transporte de cargas, desde a segunda-feira (20), se mobilizam para fechar as BR-163 e BR-364 com tendas e pneus. A mobilização da categoria ocorre desde o dia 26 de março com faixas, panfletos e adesivos.

Até o período da manhã, desta quarta-feira (22), estavam confirmados pontos de bloqueios em Diamantino, Rondonópolis, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum, podendo se estender para outros municípios. Há informações, também, de paralisações no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Paraná, o que dificultara o escoamento da produção agropecuária para os dois principais portos do Brasil: Santos (SP) e Paranaguá (PR).

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso, na manhã desta segunda-feira (22) o fluxo de caminhões circulando pelas rodovias federais de Mato Grosso recuou em torno de 20%, tendo-se em vista caminhoneiros e empresários do setor aguardarem respostas de Brasília (DF) para colocar os caminhões para rodar.

Fonte: Portal Sorriso MT com Olhar Direto

Tem algo a dizer sobre essa matéria?