Você está lendo:
GREVE DO INSS: Cerca de 300 mil atendimentos deixaram de ser feitos em MT

GREVE DO INSS: Cerca de 300 mil atendimentos deixaram de ser feitos em MT

Classe está em greve há mais de dois meses e segue sem previsão para voltar ao trabalho

Cerca de 300 mil atendimentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de Mato Grosso não foram realizados, em razão da greve dos servidores do órgão. A paralisação foi iniciada no dia 7 de julho e segue sem previsão para terminar.

Os servidores pedem reajuste salarial de 27%, em parcela única. Porém, até o momento, a proposta do Governo Federal é de aumento salarial de 21%, parcelado nos próximos anos.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Seguridade, Trabalho e Previdência Social (Sindsprev-MT), Cleones Celestino Batista, os atendimentos que deixaram de ser realizados incluem todos os setores da entidade.

“Levando em consideração a demanda diária do INSS, desde o início da greve, deixaram de ser realizados cerca de 300 mil atendimentos. Esse número inclui acesso ao balcão, telefonemas, perícias e todos os outros atendimentos”, disse.

Todas as agências do Estado estão paralisadas e somente parte do setor da gerência do órgão está em funcionamento.

“Levando em consideração a demanda diária do INSS, desde o início da greve, deixaram de ser realizados cerca de 300 mil atendimentos”

O presidente do Sindsprev-MT afirmou que os atendimentos que deveriam ser realizados durante a paralisação deverão ser remarcados através do número telefônico 135.

“Quem não foi atendido, vai ter que reagendar, para quando os servidores voltarem ao trabalho”, disse.

Apesar de o INSS estar paralisado, os benefícios que foram concedidos anteriormente à paralisação continuam sendo concedidos normalmente.

No Estado, cerca de 80% dos servidores do órgão estão aderiram à greve. Conforme Cleones, o INSS de Mato Grosso possui aproximadamente 600 trabalhadores.

Na próxima quarta-feira (23), deverá ser realizada uma nova mesa de negociações, em Brasília, que debaterá uma nova propostas do Governo Federal aos servidores.

O movimento dos servidores é de nível nacional e abrange diversas outras unidades do INSS ao redor do Brasil.

Além do reajuste salarial, a classe reivindica melhores condições de trabalho, incorporação da gratificação dos servidores, equiparação do salários dos servidores aposentados aos que estão em exercício e a realização de concurso público.

Outro lado

Em comunicado, o INSS declarou que os atendimentos que não forem realizados terão as datas remarcadas, a partir da Central 135. Para evitar prejuízo financeiro aos beneficiários, o órgão informou que, para a concessão do benefício, será considerada a data inicialmente agendada.

Um balanço realizado pelo órgão em 17 de setembro revelou que, em todo o país, foram agendadas 25.251 perícias médicas. Porém, em razão da greve em diversos Estados, somente 11.648 ações foram realizadas. Segundo divulgação, 8.677 perícias foram reagendadas. O percentual de realização do atendimento foi correspondente a 46,13%.

Fonte: Do Mídia News