Menu
Seções
Há quase um mês em greve, servidores do INSS fazem protesto
agosto 5, 2015 Notícias Gerais

Há quase um mês em greve, os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) realizaram um protesto em frente à Receita Federal, em Cuiabá, nesta terça-feira (4).

Segundo a classe, nenhuma proposta de acordo foi feita aos trabalhadores, que não têm previsão de retornar às atividades.

A paralisação do INSS teve início em 7 de julho e, desde então, somente perícias agendadas anteriormente à greve estão sendo realizadas no órgão.

A manifestação desta terça-feira (4) teve início na Praça Ulisses Guimarães e seguiu até o prédio da Receita Federal.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Seguridade, Trabalho e Previdência Social em Mato Grosso (Sindsprev), Cleones Celestino Batista, não há previsão para o fim do movimento grevista.

“A greve continua, enquanto o Governo não fizer proposta para a classe. Desde o início da paralisação, não foi feita nenhuma proposta oficial”, disse.

“A greve continua, enquanto o Governo não fizer proposta para a classe”

Conforme Batista, as perícias agendadas após o início do movimento grevista deverão ser adiadas.

O presidente do sindicato explicou como funcionará o acompanhamento de quem tiver marcado perícia posteriormente à paralisação.

“Se chegar a data da perícia, marcada para depois da paralisação, ela terá que ser reagendada. Porém, o benefício para a pessoa poderá valer a partir da primeira data de agendamento, mesmo que seja adiada”, afirmou.

Reivindicação

Os servidores pedem reajuste salarial de 27%. Porém, a proposta do Governo Federal foi de 21%, parcelado nos próximos anos.

O sindicato relatou que há, aproximadamente, mil servidores do INSS no Estado, dos quais 80% aderiram ao movimento grevista.

Somente funcionários do setor da gerência do órgão estão em exercício.

Além do reajuste salarial, a classe reivindica melhores condições de trabalho, incorporação da gratificação dos servidores, equiparação do salários dos servidores aposentados aos que estão em exercício e a realização de concurso público.

Manifestações

O presidente do Sindsprev-MT afirmou que novos atos serão realizados pela classe, enquanto durar o movimento grevista.

Na quinta-feira (6), a classe pretende distribuir panfletos sobre a paralisação.

Reprodução

Manifestações deverão ser constantes até o fim da greve, relatou sindicato

Outro lado

Em nota oficial sobre a paralisação, o INSS afirmou que os segurados que possuam agendamento para atendimento em uma Agência da Previdência Social (APS), e que não sejam atendidos em razão da paralisação dos servidores, terão sua data de atendimento remarcada.

O reagendamento será realizado pela própria APS e o segurado poderá confirmar a nova data ligando para a Central 135 no dia seguinte à data originalmente marcada para o atendimento.

O INSS declarou que considerará o dia originalmente agendado como o período de entrada do requerimento, para se evitar qualquer prejuízo financeiro nos benefícios dos segurados.

A instituição afirmou manter diálogo e respeito com seus servidores e, em razão disso, “mantém as portas abertas às entidades representativas para a construção de uma solução que contemple os interesses de todos”.

Fonte: Do Mídia News

Comentários estão fechados
*