Você está lendo:
Incêndios Florestais nas nascentes do rio Cuiabá perduram há mais de 15 dias

Incêndios Florestais nas nascentes do rio Cuiabá perduram há mais de 15 dias

Os trabalhos de combate ao incêndio florestal no Parque Estadual Águas de Cuiabá e na Área de Proteção Ambiental Cabeceiras do Cuiabá então concentrados nesta sexta (15/09) na frente que adentrou o parque. O combate tem sido feito combinando a atuação da equipe terrestre e o combate aéreo por meio do Grupo de Aviação Bombeiro Militar (GAVBM). Os bombeiros em terra usaram mochilas costais e abafadores para extinguir o fogo.

A área é de difícil acesso por ser geograficamente acidentada. Hoje uma Guarnição de Combate a Incêndios Florestais já desceu a serra, ao nascer do sol, combatendo diretamente cos focos.

São 19 bombeiros militares e 8 funcionários das fazendas vizinhas atuando no combate. Em duas semanas foram atingidos 32 mil hectares aproximadamente. Dentro da Unidade de Conservação Estadual foram queimados 2.100 ha. Quem comanda a operação é o Tenente Coronel BM Gledson Bezerra.

Os focos de incêndio em Unidades de Conservação (federais e estaduais) somam apenas 3,31% dos focos de calor registrados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Os focos em áreas privadas representam 66,81% do total. As terras indígenas são a segunda tipificação de território em quantidade de focos (20%), seguida dos projetos de assentamento (7,45%).

Os dados estão contidos no Boletim Informativo número 20 do Batalhão de Emergências Ambientais (BEA).

Logística empregada:

01 Aeronave Air Tractor 802F

01 Auto Bomba Tanque Florestal – ABTF

04 Auto Rápido Florestal

02 Caminhões Pipa (60mil litros)

01 Trator com grade