Você está lendo:
Inscrições para concurso estão abertas até o dia 15 de julho:

Inscrições para concurso estão abertas até o dia 15 de julho:

Parceria com a Ancine/FSA prevê recursos na ordem de R$ 4,5 milhões para desenvolvimento de projetos em Mato Grosso.

foto10013

Estão abertas até o dia 15 de julho as inscrições para o concurso para seleção de Projetos Audiovisuais. Lançado no início desta semana, o certame é resultado de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura (SEC), Agência Nacional de Cinema (Ancine) e Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e prevê recursos na ordem de R$ 4,5 milhões para o desenvolvimento de projetos em Mato Grosso nas áreas de curta, média e longa-metragem em ficção e animação, telefilme documental e pilotos de produtos para a TV.

Serão contemplados ao todo 19 projetos sendo: dois projetos de longa-metragem ficção ou animação no valor de R$ 900 mil cada; três projetos de telefilme documental no valor de R$ 400 mil cada; seis projetos de curta ou média-metragem de ficção ou animação de R$ 120 mi cada; seis projetos de curta ou média-metragem documental de R$ 80 mil cada; dois pilotos de produtos para a TV com recursos de R$ 150 mil cada.

Os roteiristas e diretores proponentes devem residir em Mato Grosso por, no mínimo dois anos. O edital passou por consulta pública e recebeu uma série de ideias e sugestões do setor, originários de produtores de diferentes regiões do Estado.

A avaliação das propostas inscritas será feita por profissionais especializados na área, com saber público e notório, contratados pela SEC/MT e credenciados ao Banco de Pareceristas da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura.

O secretário Leandro Carvalho ressalta que essa iniciativa integra as políticas públicas pensadas para o setor que envolvem ainda a difusão e a capacitação de profissionais. “É mais um passo na construção de uma política consistente do audiovisual no Estado”.

Para a produtora Caroline Araújo, o novo edital vem fomentar um segmento que anda a passos lentos desde 2006, quando foi lançado o último longa-metragem rodado em Mato Grosso, Ao Sul de Setembro, do cineasta Amauri Tangará.

“Tivemos o DocTV em 2008, e outros filmes feitos com recursos muito pequenos. Chegar agora a um edital com recursos de R$ 4,5 milhões e 19 produtos diferentes, com nomenclaturas e exigências, revela a seriedade da política pública voltada ao audiovisual”, afirmou.

Segundo ela, o novo edital também reforça a vocação que Mato Grosso tem para o cinema. Uma vocação histórica quando se descobre que é daqui o primeiro documentário produzido no mundo inteiro com som e imagem sincronizados.

A descoberta é do professor e historiador americano Eric Hobson, da Belmont University, de Nashville, no Tennessee (EUA), que esteve presente na solenidade de lançamento do edital da SEC/Ancine na última segunda-feira (30.06).

Há dois anos Hobson se debruça sobre a expedição de um grupo de americanos que veio para o Brasil em 1931 e aqui produziu o primeiro documentário falado. Intitulada Matto Grosso – The Great Brazilian Wilderness, a produção tem como cenário a fazenda Descalvados, em Cáceres. A equipe estrangeira, que tinha a intenção inicial de fazer um filme de ação, utilizou uma das duas câmeras existentes em todo o mundo capazes de captar imagem e som. O outro equipamento estava nos estúdios em Hollywood.

“Há muitas histórias a serem contadas em Mato Grosso e eu peço aos profissionais daqui que contem essas histórias e que mantenham viva essa ligação do estado com o audiovisual, tão antiga e importante”, observou Eric Hobson.