Você está lendo:
LAVA JATO: STF decide libertar ex-ministro José Dirceu

LAVA JATO: STF decide libertar ex-ministro José Dirceu

Por três votos a dois, a segunda turma do Supremo Tribunal Federal decidiu, nesta terça-feira (02), libertar o ex-ministro José Dirceu, preso pela Lava Jato pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
O STF acolheu o pedido de habeas corpus feito pela defesa do petista, condenado duas vezes em ações da Lava Jato. José Dirceu está preso em Curitiba (PR) desde agosto de 2015.
Fazem parte da segunda turma do STF, os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Edson Fachin, relator da operação Lava Jato na Suprema Corte. Os ministros Dias Toffoli e Lewandowski votaram pela soltura. Edson Fachin e Celso de Mello defenderam a continuidade da prisão. O desempate a favor de Dirceu veio através do voto do ministro Gilmar Mendes.
Em 2016, José Dirceu foi condenado a 23 anos de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Na sentença, o juiz Sergio Moro decidiu manter a prisão preventiva. Posteriormente, o ex-ministro da Casa Civil teve a pena reduzida para 20 anos e 10 meses. Dirceu foi acusado de receber mais de R$ 48 milhões por meio de serviços de consultoria, valores que seriam de propina proveniente do esquema de corrupção na Petrobras.
A decisão de soltar o ex-ministro veio poucas horas depois de o Ministério Público Federal no Paraná apresentar uma nova denúncia contra o petista, na operação Lava Jato.