Você está lendo:
Lúdio afirma que espera contar com apoio de Blairo Maggi

Lúdio afirma que espera contar com apoio de Blairo Maggi

Senador se mantém afastado de decisões do PR e do grupo situacionista

Embora o senador Blairo Maggi (PR) se mantenha afastado das movimentações partidárias do grupo situacionista, o candidato a governador Lúdio Cabral (PT) afirmou que espera que o republicano esteja em seu palanque.

Na última semana, Erllon Fagundes, sobrinho do candidato a senador Wellington Fagundes (PR), publicou uma foto em que Blairo Maggi aparece fazendo um ‘W’, em menção a campanha do parlamentar.

A foto levantou a hipótese de que Blairo iria entrar de vez na campanha eleitoral deste ano.

“Participação concreta de Blairo Maggi em nossa campanha vai depender da agenda dele”

Ao MidiaNews, Lúdio disse que a participação do líder republicano em sua campanha depende, na verdade, de sua agenda.

“A participação das lideranças nacionais em nossa campanha vai acontecer dentro de uma estratégia, ao longo desses 70 dias. É lógico que quero uma participação expressiva do senador na campanha, porque ele é uma grande liderança no Estado. Mas essa participação concreta vai depender da agenda dele”, explicou.

Desde o final de 2013, quando o arco de aliança do governador Silval Barbosa (PMDB) começou as primeiras movimentações para definição de seu substituto, Maggi era tido como favorito pelo grupo.

Porém, o senador sempre negou que fosse deixar o Senado para tentar uma volta ao comando do Palácio Paiaguás.

Em maio, a quinta fase da Operação Ararath, deflagrada pela Polícia Federal, tirou de cena o nome do senador das discussões políticas. (Leia mais AQUI).

Para Lúdio, a ajuda de Maggi seria importante, já que o republicano tem grande aceitação em todo o Estado.

“Ele governou o Estado por oito anos, tem uma avaliação positiva da população e tem ações que nós utilizaremos como referência. Mas, caso ele tenha essa intenção de ter uma participação mais discreta neste ano, saberei respeitar”, disse.

Isolado

Com a sinalização de uma possível polarização entre os candidatos José Riva (PSD) e Pedro Taques (PDT), membros do grupo da situação temem a possível perda de força na campanha petista.

Os dois candidatos são alvos de produções anônimas de vídeos de humor, que são espalhados por redes sociais, como o WhatsApp e Facebook.

No entanto, o candidato do PT garante não se preocupar com a forma como seus adversários conduzem a campanha.

“Tenho feito a minha campanha mobilizando as nossas bases, encontrando pessoas, me apresentando e apresentando nossas propostas. Sinceramente, não estou preocupado com a campanha que os outros candidatos estão fazendo. Estou fazendo a minha e procurando buscar um diálogo para alcançar um crescimento e a vitória”, disse.

“Nossa campanha nas redes sociais é uma campanha positiva, do bem, de diálogo com as pessoas. Não é uma campanha de confronto com os outros candidatos. E se eles estão adotando essa tática, é uma pena, porque isso é ruim para a população”, completou.

Tem algo a dizer sobre essa matéria?