Você está lendo:
Lúdio denuncia caos e chama Taques de “cara de pau”

Lúdio denuncia caos e chama Taques de “cara de pau”

Senador critica gestão de Silval; petista se defende e aponta gestão de Cuiabá

O candidato a governador de Mato Grosso Lúdio Cabral (PT) chamou o senador Pedro Taques (PDT), seu adversário na disputa, de “cara de pau” durante debate na TV Record nesta segunda-feira (25).

Ex-vereador e médico, Lúdio foi questionado por Taques se era possível avaliar pontos positivos e defender a gestão do governador Silval Barbosa (PMDB).

“Sim, Mato Grosso é campeão de lepra, campeão de leishimaniose, de tuberculose. Nós vamos investir na atenção básica, atenção primária para resolver isso. Em Mato Grosso, os hospitais regionais não funcionam, os faremos funcionar. Nós temos índices alarmantes de homicídio, nós vamos resolver isso criando oportunidades e com Polícia na rua. Eu gostaria de perguntar ao candidato do PT se esse Governo que o senhor representa tem defesa, diante dos indicadores sociais que revelam um fracasso na Educação. O Ensino Médio teve o maior índice de reprovação e evasão escolar do Centro-Oeste. Esse Governo tem defesa?”, questionou Taques.

O petista respondeu que, em todo Governo, há prós e contras e que o próprio parlamentar não poderia esquecer seu passado, fazendo referência ao apoio dado ao prefeito Mauro Mendes (PSB) na campanha de 2012 à Prefeitura de Cuiabá. 

“Não se governa com frase de efeito. Não se governa apontando o dedo e só atacando. Se governa com diálogo e com respeito. A Saúde em Cuiabá está um caos”



“Candidato, todo Governo erra e acerta. E o que nós temos é que aprender com os acertos e erros dos governos que passaram. O senhor também tem laços com os governos que passaram e faz de conta que não tem. O que está errado na Saúde será corrigido. Na Educação, priorizaremos um ensino integrado exatamente para combater a evasão. Agora, Mato Grosso era o 26º estado no Ideb no Ensino Médio e hoje é o 11º. Então, houve avanços”, afirmou.

“Esse seu discurso da terra arrasada é contraditório e incoerente. Porque o senhor se vende como candidato da renovação, mas é apoiado por Wilson Santos e Francisco Galindo [ex-prefeitos de Cuiabá] e Mauro Mendes. O senhor se vende como candidato da coerência e chamou o Luiz Antônio Pagot de mafioso e, agora, o tem como coordenador em sua campanha. O senhor se vende como candidato da transparência, mas, até hoje, não se sabe quem é seu suplente de senador e há indícios de fraude na ata de 2010 na sua chapa. Então, não venha com esse discurso. Eu tenho maturidade e sei exatamente o que está errado para modificar no meu governo. É por isso que sou candidato”, disse Lúdio.

Taques, então, ironizou o adversário: “Eu peço desculpas ao candidato Lúdio porque ele ficou nervoso e ele está preocupado em defender esse Governo”

“Candidato, não se governa com frase de efeito. Não se governa apontando o dedo e só atacando. Se governa com diálogo e com respeito. Infelizmente isso o senhor não sabe praticar.”


Lúdio respondeu ao senador, afirmando que a responsabilidade do “caos” na Saúde de Cuiabá era de Taques, uma vez que o PDT é o responsável pela indicação dos secretários.

“Candidato, não se governa com frase de efeito. Não se governa apontando o dedo e só atacando. Se governa com diálogo e com respeito. Infelizmente isso o senhor não sabe praticar. O senhor é responsável pela gestão da Saúde de Cuiabá. O Mauro Mendes ganhou contra mim em 2012 dizendo que faria um novo pronto-socorro e o senhor esperneou para indicar secretários de saúde. Os dois secretários [Kamil Fares e Werley Perez] foram indicados pelo senhor e o tal do pronto-socorro não saiu do papel. E o senhor tem a cara de pau de vir aqui dizer que agora vai ajudar o Mauro Mendes a construir um novo hospital. Quem garante isso? Frase feita não governa. Esqueça que o senhor foi procurador um dia e se coloque na posição de quem quer governar Mato Grosso. Com acusação e frase de efeito o senhor não vai ser governador do nosso estado”, disse.

Tem algo a dizer sobre essa matéria?