Você está lendo:
Maggi sinaliza para rompimento com o Governo Dilma
0

Maggi sinaliza para rompimento com o Governo Dilma

by newsmtabril 7, 2015

Senador disse que, hoje, não votaria em nome do PT: “Acho que prefiro uma alternativa diferente, nova”

O senador Blairo Maggi (PR), em entrevista concedida ao jornalO Estado de S. Paulo, no domingo (6), foi duro nas críticas ao Governo da presidente Dilma Rousseff (PT), de quem ele é (ou era) considerada aliado de primeira hora.

O senador mato-grossense disse que o Governo é “um paquiderme, um elefante que não se mexe” e ainda afirmou que, hoje, não se aliaria novamente a um candidato do PT à Presidência da República.

“O Governo Federal é um paquiderme, um elefante que não se mexe”

“Acho que hoje não manteria meu voto na Dilma. Acho que prefiro uma alternativa diferente, nova”, disse o senador.

Ele afirmou, inclusive, que está chegando o “fim do ciclo” do PT no Governo e previu que “todos os candidatos que usarem o número 13 para disputar as eleições municipais serão derrotados. “A insatisfação é muito grande”, afirmou.

Maggi disse que vê com muita preocupação o cenário econômico do País e alegou que a crise econômica enfrentada no Brasil está intimamente ligada à crise política do Governo Dilma.

Também de acordo com ele, haverá, em breve, um aumento significativo nas taxas de desemprego no país.

“Não existe possibilidade de você debelar uma crise sem resolver a outra. Vão ter que resolver as duas partes juntas. Na parte econômica, todo mundo sabe como é que está. O Brasil está indo ladeira abaixo. Parece que Brasília ainda não percebeu o tamanho da recessão que vem por aí. É muito grande o numero de pessoas que ficará sem emprego”, disse.

“Acho que hoje não manteria meu voto na Dilma. Acho que prefiro uma alternativa diferente, nova”

Maggi afirmou que esperava uma mudança de postura da presidente Dilma, o que, segundo ele, não ocorreu até o momento.

De acordo com o senador, entre essas mudanças, estaria um “corte na própria carne”. Ou seja, um enxugamento da máquina pública. Até o momento, no entendimento de Maggi, o Governo só realizou o “enxugamento de despesas”.

Efetivamente, o senador defende, por exemplo, um corte no número de ministérios, que hoje chega a 39.

“Temos 39 ministérios. É muito. Tem 14 deles que são secretarias. As pessoas só têm o status de ministro. Aí falam: ah, mas aí você vai economizar pouca coisa. Não é questão de quanto você economiza. É uma questão de mudança de postura. É o gesto. Temos aí milhares de comissionados no País. Corta 20 mil, corta 30 mil. Tenho certeza que o Brasil vai andar melhor”, comentou.

Ainda durante a entrevista, o senador comentou sobre a queda de popularidade no Governo Dilma, o que, segundo ele, está ligado aos desdobramentos da Operação Lava Jato, que investiga desvios de dinheiro público na Petrobras.

Clique AQUI e confira entrevista na íntegra.

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?