Você está lendo:
Mais uma multinacional decide investir em Mato Grosso

Mais uma multinacional decide investir em Mato Grosso

Apesar da conjuntura adversa e crise econômica no país, Mato Grosso continua atraindo investimentos. Desta vez, por parte Companhia de Bebidas das Américas (Ambev). O interesse foi sinalizado nesta terça-feira (17) durante reunião entre os dirigentes da multinacional e o governador Pedro Taques.

De acordo com o presidente da Ambev, Bernardo Pinto Paiva, o setor continuará sendo uma das apostas de investimentos para 2017 com foco na retomada do crescimento do Estado.

“Mato Grosso é um Estado muito sério que trabalha sua gestão com uma liderança muito forte que o governador tem. Um sinal muito bom disso é o time sólido que ele formou e que dá confiança à Ambev, e para qualquer outro empresário que queira investir aqui”, disse.

Para que o investimento seja iniciado, a Ambev elaborará um projeto junto às secretarias de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Fazenda.

“Saímos com o dever de casa de preparar um plano forte de investimentos nesse Estado que não só está crescendo muito, mais é um Estado que tem um líder muito forte e uma pessoa que vai deixar um legado inesquecível para as pessoas que moram aqui. Isso dá uma segurança muito grande”, afirmou.

Em dois anos de gestão o governador tem feito um trabalho de articulação com as empresas interessadas em atuarem no Estado. Na semana passada o governador Pedro Taques e o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ricardo Tomczyk, receberam no Palácio Paiaguás representantes da empresa americana Summit e da empresa de Lucas do Rio Verde, Fiagril Participações.

Na ocasião, a multinacional anunciou que o Estado vai ganhar, ainda no primeiro semestre deste ano, sua primeira indústria de etanol produzido 100% com insumos do milho. Segundo Taques, é necessário gerar um ambiente cada vez mais favorável com ações como aquisição de matrizes e fomento.

“Temos buscado resolver os desafios de Mato Grosso. Precisamos criar uma ambiência propícia para que possamos receber investimentos, favorecendo a iniciativa privada para que ela possa pagar impostos. Não existe dinheiro público, o dinheiro é do cidadão, que cirscuntancialmente nós estamos administrando”, salientou o governador.