Você está lendo:
Mendes Júnior leva 10º aditivo e Arena deve ser entregue em outubro
0

Mendes Júnior leva 10º aditivo e Arena deve ser entregue em outubro

by newsmtsetembro 25, 2014

Obra será concluída com 22 meses de atraso em relação ao cronograma original

A Construtora Mendes Júnior, responsável pela execução da obra da Arena Pantanal, assinou seu 10º aditivo contratual junto à Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), garantindo a vigência do contrato até 26 de outubro deste ano.

O certame já havia se expirado em 28 de julho passado, sem que, no entanto, a obra de mais de R$ 600 milhões houvesse sido finalizada e entregue ao Governo do Estado.

O extrato do aditivo foi publicado no Diário Oficial que circula nesta quarta-feira (24).

Segundo a Secopa, o prazo adicional de 90 dias para a expiração do contrato se deu em face da necessidade do Estado de contar com mais tempo para averiguar toda a obra antes da emissão do Termo de Recebimento Definitivo da Obra.

Por enquanto, apenas o termo provisório foi assinado.

A pasta alegou, ainda, que nesse período está sendo feito o treinamento dos servidores do Estado para assumirem a gestão da arena depois que a construtora fizer a entrega da obra.
Usada durante a Copa do Mundo, em junho deste ano, a obra ainda não havia sido finalizada.

Atualmente, segundo a pasta, não há serviços relacionados à construção – da Mendes Junior – a serem finalizados.

No entanto, a Kango Brasil Ltda., responsável pela fabricação e instalação dos assentos do estádio, ainda trabalha na mesclagem das cadeiras nas arquibancadas, de forma a criar o mosaico entre os tons claros e escuros do azul, conforme previsto no projeto.

Atraso

Quando do início de sua construção – que começou com a demolição do Verdão em 2010 – a obra enfrentou alguns percalços para ser concluída, o que resultou em atraso de pelo menos 22 meses em relação ao cronograma inicial, que previa a entrega em dezembro de 2012.

Entre as dificuldades ressaltadas pelo Estado está a dissolução do Consórcio Santa Bárbara-Mendes Júnior – que foi responsável pela obra por três anos –; embates com o Ministério Público Estadual, no segundo semestre do ano passado, durante a aquisição de assentos para o estádio; e, mais recentemente, com a morte de um operário contratado pelo Consórcio C. L. E – responsável pelas instalações de Tecnologia, Informação e Comunicação (TIC) no estádio.

Até maio deste ano, já haviam sido pagos R$ 527.178.482,18 pela obra, envolvendo a construção (Mendes Junior), TIC (Consórcio C.L.E.) e assentos e mobiliário (Kango Brasil Ltda.) – leia mais AQUI.

A obra

Contratualmente orçada em R$ 570 milhões, as obras da Arena Pantanal tiveram reajustes que elevaram o seu valor e já foi comprovado que a obra custou mais de R$ 600 milhões aos cofres públicos.

O Complexo da Arena Pantanal possui 34 hectares. Só o estádio compreende quase 104 mil m² desse espaço.

A parte interna conta com camarotes, espaço reservado à imprensa, banheiros, escadas de acesso e elevadores.

Quanto ao estacionamento, são 380 vagas dentro da Arena e mais 2,4 mil do lado de fora.

Os projetos de paisagismo são constituídos de lagos artificiais e escalinata – estrutura arquitetônica que funciona como ponto de encontro para os torcedores.

Uma grande passarela liga o estádio ao entorno, formado por uma área que pode ser usada para atividades esportivas e caminhadas e deverá contar com espaços que podem ser usados pelo operador do estádio como restaurante ou lanchonetes.

LISLAINE DOS ANJOS 

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?