Você está lendo:
MESA DIRETORA: Rabello diz que irá disputar presidência da Assembleia

MESA DIRETORA: Rabello diz que irá disputar presidência da Assembleia

Ele ainda afirmou que deputados que pedem redução de gastos falam “sem conhecimento de causa”

O deputado estadual Walter Rabello (PSD) afirmou que irá concorrer à presidência da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, para o biênio 2015/2016.

“Sou candidato à presidência e a 1º secretaria, defendendo os interesses do partido. Coloquei meu nome ao partido e não houve nenhuma rejeição e vamos para a luta. Mas não quero o poder a qualquer custo. Não faço tudo pelo poder”, afirmou em entrevista à rádio CBN.

Além de Rabello, ventilam nos bastidores os nomes dos deputados: Mauro Savi (PR), Zeca Viana (PDT), Guilherme Maluf (PSDB) e Eduardo Botelho (PSB).

“Todos os 24 deputados eleitos estão credenciados. É óbvio que quem vai para o terceiro mandato tem uma experiência maior”

Reeleito pela terceira vez, o pessedista acredita ter a experiência necessária para assumir comando do Poder Legislativo.

“Todos os 24 deputados eleitos estão credenciados. É óbvio que quem vai para o terceiro mandato tem uma experiência maior, mas isso não me dá o direto de ser o único candidato”, disse.

Rabello ressaltou o fato do grupo que não foi eleito pela coligação do governador Pedro Taques (PDT), formado por 13 parlamentares, ter a maioria e mais chances de assumir a Mesa.

“Eu ouvi um discurso de um deputado dizendo que qualquer um dos 11 do grupo do Taques que sair de lá será tachado como traidor. Mas se a linha de raciocínio for essa mesmo, a Mesa já está definida, porque ele não vai poder pegar ninguém daqui para ir para lá, porque ele também será um traidor. E nós somos 13 enquanto lá são 11”, afirmou.

“Hipocrisia”

O deputado Walter Rabello ainda classificou como “hipocrisia” os parlamentares que criticaram os repasses feitos para a Assembleia.

Para ele, há parlamentares que falam sem conhecimento de causa.

“O repasse é constitucional. O governador tem que passar esse dinheiro por força de lei para a Assembleia. Mas temos que questionar se terá cortes em todos os poderes e essa pergunta tem que ser feita única e exclusivamente para quem faz a gestão”, disse.

“Porque não posso falar do que não tenho 100% de conhecimento. tem que saber quanto gasta uma Assembleia. E eu acredito que os que falam em cortes de gastos não estudaram ainda para saber melhor sobre esses gastos, se são exorbitantes ou se estão dentro da normalidade”, afirmou.

No entanto, o deputado do PSD disse ser a favor do corte de gastos desde que seja em todos os poderes e que não prejudique o andamento dos trabalhos.

“É preciso fazer um levantamento, uma auditoria, para saber se está saindo dinheiro pelo ralo. Só falar é fácil. Sou a favor que reduzam gastos desde que não prejudique a funcionalidade de nenhum poder, seja ele Executivo, Legislativo ou Judiciário.

 
DOUGLAS TRIELLI/MIDIANEWS
 
 

Tem algo a dizer sobre essa matéria?