Você está lendo:
MPE investiga gráficas por suposto envolvimento com esquema de lavagem de dinheiro em MT

MPE investiga gráficas por suposto envolvimento com esquema de lavagem de dinheiro em MT

As gráficas com sede em Cuiabá e Várzea Grande estão sendo investigadas pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE/MT) por suspostamente estarem envolvidas em esquema de lavagem de dinheiro público. As principais investigadas são as vencedoras do pregão presencial feita pela Secretaria de Estado de Administração (SAD).

As investigações apuram o desvio de aproximadamente R$ 11 milhões dos cofres do MT Saúde. Na época a pasta estava sendo gerida por Cezar Roberto Zílio. Segundo o MPE, somente nos dois últimos anos, o governo de estado gastou R$ 40 milhões com confecção de material impresso.

A fraude começou com a criação de um grupo de gráficas que sempre disputavam as licitações estaduais. Se alguma outra empresa, fora do grupo, ingressassem na disputa, o grupo fornecia uma espécie de suborno, para que essa viesse a desistir do pregão. O valor pago para desistência chegava aos R$ 30 mil. Apura-se ainda que as empresas relatavam uma impressão gráfica de grande quantidade, quando que na verdade, era impresso um volume muito inferior.

Outro ponto destacado é que a Assembleia Legislativa do estado teria aderido à licitação feita pela secretaria e contratado as mesmas gráficas vencedoras do processo fraudado. Acredita-se ainda que o valor desviado dos cofres públicos, foram usados na campanha eleitoral.

Até o momento sete proprietários e diretores de gráficas investigadas, já foram ouvidos pelo MPE. Uma operação em parceria com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de combate ao Crime Organizado) para que as investigações sejam avançadas ainda mais e se conclua num tempo bem menor.

Nortão Noticias

Tem algo a dizer sobre essa matéria?