Você está lendo:
Município de Tangará da Serra pagará mais R$ 2,1 mi de precatórias do “Escândalo da Saúde”
0

Município de Tangará da Serra pagará mais R$ 2,1 mi de precatórias do “Escândalo da Saúde”

by newsmtsetembro 2, 2014

Tangará da Serra pagará até o próximo ano mais de R$ 2,1 milhões de precatórias referentes ao episódio conhecido no município como “Escândalo da Saúde”, sendo destes mais de R$ 800 mil ainda para este ano e R$ 1,3 milhão para 2015. As informações foram repassadas aos presentes na audiência pública realizada na última semana para discussão da Lei do Orçamento Anual (LOA) de 2015.

De acordo com a secretária de Fazenda, Valnicéia Piccoli, os pagamentos são referentes as ações judiciais interpostas por trabalhadores contratados na época pelo Instituto de Desenvolvimento Humano, Econômico e Ação Social (Idheas) e que não receberam por isso. Os valores estão sendo garantidos a esses trabalhadores pela Prefeitura de Tangará da Serra desde 2010, que ao final do próximo ano somarão mais de R$ 3,618 milhões de prejuízo aos cofres públicos. “O grande volume foi pago em 2011, mas nos outros anos também foram pagos outros valores que somados ultrapassam um milhão 455 mil. E para esse ano ainda temos mais de 800 mil em precatórias, além de um milhão e 400 mil para 2015, gastos estes já previstos em orçamento”, explicou a responsável, ao destacar que o cumprimento dessas obrigações eram de responsabilidade do Idheas, mas como a Justiça do Trabalho não localizou ninguém que pudesse arcar com essas despesas, o município foi acionado para fazê-la.

Todo esse valor é proveniente do tesouro municipal, que poderia ser investido em outros setores e serviços, inclusive na saúde que tanto carece de melhorias. “Você vê que vamos concluir agora o Hospital Municipal com menos de três milhões. Então o que já não poderia ter sido feito com esse dinheiro (…) realmente é um prejuízo muito grande para o município”.

Município pedirá ressarcimento desses valores pagos

Estando hoje pagando sozinho pelos prejuízos causados por gestões anteriores e Oscip Idheas, a secretária de Fazenda, Valnicéia Piccoli, afirmou que o município de Tangará da Serra entrará com mais uma ação regressiva solicitando para que os proprietários do Idheas respondam pelo ato, assim como devolvam ao município esses valores que podem ultrapassar R$ 4 milhões, caso haja mais pagamentos para 2016. “Tudo isso está sendo pago com dinheiro do município (…) uma conta que não é nossa”, comenta, ao lembrar que outras ações regressivas já foram feitas e que, assim que novos valores forem pagos, mais ações serão realizadas.

ENVOLVIDOS

Dos envolvidos no ‘Escândalo da Saúde’ somente o ex-prefeito Júlio César Ladeia (PR), ex-vice-prefeito José Jaconias da Silva (PT), e ex-vereadores Celso Ferreira (DEM), Genilson Kezomae (PR), Haroldo Lima (DEM) e Paulinho Porfírio (PR) foram julgados. Há três anos, esses envolvidos foram julgados e, por unanimidade, tiveram seus mandatos cassado pela Câmara Municipal na noite do dia 31 de agosto. Júlio César foi considerado pelos vereadores como responsável pelo contrato irregular da Oscip Idheas para gerir a Saúde em Tangará da Serra resultando num prejuízo de mais de R$ 4,2 milhões ao Município.

Os demais envolvidos – Ângela Joana César Dedoja Louret, Ériko Sandro Suares, Gustavo Porto Franco Piola, Mário Lemos de Almeida, Dinocarme Aparecido Lima, Elzira Verginia Mariani Guides Martins, Verginia Aparecida Mariani, Centro Integrado e Apoio Profissional e, novamente, Júlio César Ladeia, o processo ainda está ‘correndo’ na Justiça. Sobre o andamento do mesmo traremos mais informações na edição de amanhã.

 

DiariodaSerra

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?