Você está lendo:
“Nada irá me abalar, serei candidato á reeleição”, aposta Valdenir
0

“Nada irá me abalar, serei candidato á reeleição”, aposta Valdenir

by newsmtjulho 28, 2015

Na última sexta-feira (24), o prefeito de Nova Ubiratã, Valdenir José dos Santos (PMDB), recebeu em seu gabinete na prefeitura a equipe de reportagem do Celeiro do Norte e concedeu entrevista abordando assuntos como o futuro político após o processo que envolve o seu nome e de seu vice em suposto abuso de poder econômico e uso da mídia para se favorecer nas eleições de 2012, dentre outras pautas de interesse da população. Saúde, educação, investimentos e melhoria da infraestrutura, novos projetos para atrair empresas e, consequentemente, a geração de empregos e parceria com o setor agrícola foram temas tratados.

Quanto ao desfecho do processo em trâmite na justiça, Valdenir demonstra confiança e acredita na absolvição, em sede de decisão final no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que está prevista para ser prolatada em setembro deste ano. “Vou permanecer como prefeito e volto fortalecido para terminar o restante do mandato. Isso não me abalou, pelo contrário, me fortaleceu”, afirmou.

O prefeito voltou a administrar o município de Nova Ubiratã no dia 7 de julho, após permanecer 11 dias afastado em decorrência de determinação da juíza Ana Graziela Corrêa, da 43ª Zona Eleitoral de Sorriso. Com a revogação do afastamento pelo ministro do TSE, Gilmar Mendes, Valdenir e o vice retornaram aos cargos. O relacionamento entre os poderes executivo e legislativo municipal, segundo Valdenir, é harmonioso. “Precisamos respeitar os trâmites e legislação interna, mas isso não é problema. O diálogo sempre existe entre executivo e legislativo”, frisou.

Durante o período de afastamento do prefeito e seu vice, assumiu interinamente o cargo o presidente da Câmara de Vereadores, José Afonso Canola (PPS). Valdenir elogiou o posicionamento de Canola como prefeito interino. “Ele (Canola) é um político sério, humilde e honesto. Enquanto eu estava afastado não tomou nenhuma decisão que eu desaprove. Não mandou ninguém embora e nem trocou nada”, apontou.

Diante da repercussão do processo de cassação e seu afastamento, perguntado sobre os rumos de sua carreira política, Valdenir foi categórico. “Nada irá me abalar e pretendo sim, disputar a reeleição. Ser prefeito foi um sonho desde menino, sempre fui um homem sonhador. Obstáculos existem e vamos em frente para a batalha. Eu tenho um propósito de transformar Ubiratã em uma cidade modelo e seguirei com a minha vida pública”.

Compromisso- O prefeito afirmou que cumpriu em sua gestão cerca de 70% do planejado durante a campanha eleitoral. “As escolas foram reformadas, bem como os postos de saúde, que contam com cinco médicos. Disponibilizamos à população médicos especialistas itinerantes e consultórios odontológicos em todos os distritos”, apontou. Ao todo, Nova Ubiratã possui seis distritos, que correspondem a cerca de 60% do território municipal. Os 40% remanescentes formam o perímetro urbano do município.

Repasses- Segundo Valdenir, as verbas do governo do Estado que seriam destinadas a suprir a demanda municipal não estão sendo repassadas. “Os repasses do governo estadual estão atrasados, sem contar os do governo federal que não estão saindo”, afirmou. A prefeitura de Nova Ubiratã irá participar da mobilização da Confederação Nacional dos Municípios, que promoverá a paralização das prefeituras por um período de 5 dias visando chamar a atenção da sociedade, do Governo Estadual e Federal para que seja equacionado o repasse das verbas aos municípios. “Municípios, estados e o governo federal têm suas atribuições, porém o maior alvo de cobranças da população são as prefeituras. As arrecadações são centralizadas e os municípios ficam com a menor fatia do bolo financeiro, cerca de 15%. Em contrapartida, a maior demanda de trabalho fica para as prefeituras,” lamentou.

Atualmente, a arrecadação do município de Nova Ubiratã é de R$ 3 milhões e em meio à crise econômica que o país enfrenta esse valor tende a diminuir. O ‘alívio’ vem por meio de repasses realizados pela Assembleia Legislativa do Estado, provenientes de sobras do seu orçamento. No primeiro semestre, cerca de R$ 20 milhões foram repassados aos municípios, destinados à aquisição de ambulâncias. Para o segundo semestre, estima-se que serão R$ 30 milhões. Segundo o governador Pedro Taques (PDT), o estado irá liberar o mesmo valor que a AL repassar aos municípios. “Com esses recursos poderemos investir na infraestrutura do município e realizar outras melhorias em Nova Ubiratã”, disse Valdenir. Segundo o prefeito, faltam apenas 16 km de asfalto no município.

Logística- Nova Ubiratã possui cerca de três mil km de malha viária, entre municipal e estadual. O asfalto da MT-242, ligando a cidade ao sul e ao nordeste do país, trará novos rumos para o município que pretende atrair novos investimentos.

Energia- De acordo com a projeção feita pelo prefeito Valdenir José dos Santos, até o segundo semestre de 2016 já estará em funcionamento a subestação de energia. “Será fundamental para atrair os investidores de fora. Não podemos somente falar das condições de logística e incentivos fiscais se não há uma energia adequada. Isso tem sido um grande gargalo em nossa administração”, apontou.

Parceria- Uma grande aposta do prefeito Valdenir é o cooperativismo entre o poder público e os produtores rurais do município. A Cooperativa Agropecuária de Nova Ubiratã (Coopertã) já conta com a assistência do médico veterinário da prefeitura. A parceria visa o aumento da produtividade do município e a construção de uma beneficiadora de leite. Outro projeto em destaque é a piscicultura. Os produtores já contam com assistência técnica adequada e em breve a prefeitura disponibilizará máquinas para a construção de tanques. Conforme o prefeito, o município de Nova Ubiratã possui aproximadamente 1.500 agricultores e 400 mil hectares de lavoura.

Fonte: O Celeiro do Norte

About The Author
newsmt