Você está lendo:
"Não tenho vergonha do passado e nem temo o futuro"
0

"Não tenho vergonha do passado e nem temo o futuro"

by newsmtagosto 26, 2014

Candidato do PDT, Taques evita polêmica em debate e diz que foca em propostas

O candidato a governador Pedro Taques (PDT) evitou responder as principais polêmicas levantadas por seus adversários, após o fim do primeiro debate entre os candidatos majoritários, realizado nesta segunda-feira (25), na TV Record (Canal 10).

Centro das críticas dos postulantes ao Palácio Paiaguás, Taques afirmou que não há motivos para ser atacado.

“Se houve acordo ou alguma coisa nesse sentido, tem que ser perguntado aos demais candidatos. Estou tranquilo, não tenho nada que justifique ser atacado. Todo cidadão tem que mostrar a que veio. Não tenho vergonha do meu passado; por isso, não temo meu futuro”, disse o pedetista, em coletiva de imprensa, ao fim do debate.

“Se houve acordo ou alguma coisa nesse sentido, tem que ser perguntado aos demais candidatos. Estou tranquilo, não tenho nada do que ser atacado”

O candidato do PDT afirmou que procurou manter um tom “propositivo” durante o debate.

“O debate é bom para o eleitor conhecer as propostas, é um instrumento da democracia. Temos que mostrar as propostas e debater ideias, e é isso que procurei fazer, durante a nossa participação”, disse.

Questionado, novamente, sobre uma suposta investigação contra ele e sua esposa, a advogada Samira Martins, na Operação Ararath, da Polícia Federal, Taques afirmou que uma lista com possíveis alvos da investigação “não possui assinatura”.

“Quem tem que provar, que prove alguma coisa nesse sentido. Temos certidões de todos os tribunais dizendo que não existe essa investigação. Agora, não posso falar por uma lista sem assinatura”, afirmou.

“Não tenho que comentar nada sobre o que os outros candidatos estão fazendo. Tenho que comentar a proposta para que o povo de Mato Grosso possa saber que temos as melhores propostas para administrar o Estado. E isso o povo vem sabendo entender, como as pesquisas revelam”, completou o candidato.

Debate

O debate realizado pelo Grupo Gazeta de Comunicação contou com a presença de Taques, do ex-vereador Lúdio Cabral (PT), do deputado estadual José Riva (PSD), do advogado José Roberto (PSOL) e do jornalista José Marcondes Muvuca (PHS).

Entre os questionamentos ao senador do PDT estavam: sua aliança com o ex-diretor do DNIT, Luiz Antônio Pagot (PTB) e os ex-prefeitos Wilson Santos (PSDB) e Chico Galindo (PTB); promessas de campanha do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB); as horas de voo apresentadas em sua prestação de contas da campanha de 2010; e a prescrição do Caso Cooperlucas.

O senador respondeu aos questionamentos tentando emendar propostas de seu plano de Governo.

“Fui defensor público, fui procurador da República… Agora, eu preciso do seu voto. No fundo, o que importa é tratar gente com oportunidade”, disse, durante o debate, se dirigindo aos eleitores.

“Baixarias”

Taques disse lamentar os “ataques e baixarias” promovidas pelos adversários. Para ele, os adversários mostraram “desespero e desrespeito” com o eleitor.

“Para mim política é um instrumento de transformação, quero ser governador de Mato Grosso, não quero ofender quem quer que seja, como todos aí fizeram. Vejo como natural essa postura deles, mas é preciso ser perguntado aos outros candidato se houve acordo entre eles”, disse.

 

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?