Você está lendo:
Nova Ubiratã: Secretaria de Meio Ambiente alerta produtores para período proibitivo de queimadas em MT
0

Nova Ubiratã: Secretaria de Meio Ambiente alerta produtores para período proibitivo de queimadas em MT

by newsmtjulho 30, 2015

Na tentativa de minimizar os incidentes envolvendo queimadas ilegais na Região a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Nova Ubiratã iniciou uma campanha de conscientização para o período proibitivo das queimadas em Mato Grosso, que vai compreende entre os dias 15 de julho á 15 de Setembro, podendo ser prorrogado em razão das condições climáticas, conforme Decreto nº 191, publicado pelo Governo do Estado no Diário Oficial.

De acordo com dados repassados pelo Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE), de 1º de janeiro a 15 de julho, já foram registrados 5.664 focos de calor em Mato Grosso, número 7,5% menor que o mesmo período do ano passado, que teve 6.127 focos.

Sendo que Nova Ubiratã ocupa a 15º posição em uma lista de 20 municípios com o maior número de queimadas no Estado, o que tem preocupado os órgãos de fiscalização.

 “Infelizmente nos últimos cinco anos Nova Ubiratã tem aparecido com destaque nessa lista, e o nosso objetivo é retirar o município dessa triste posição, e uma das formas encontradas foi trabalhar nas campanhas de prevenção, o que tem sido feito por toda a equipe da secretaria”, frisou a Secretária Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Jaqueline Amaral.

Jaqueline ressalta ainda que os produtores que forem flagrados cometendo o crime ambiental estão sujeitos a serem duramente penalizados.

“As leis ambientais tem se tornado cada vez mais severas, podendo resultar em multas que vão de R$ 1 mil a até R$ 7,5 mil (pastagem e agricultura) por hectare, e em alguns casos o acusado pode ser condenado a até quatro anos de prisão”, alertou.

Os responsáveis pelo setor no município aconselham que os produtores adotem algumas medidas de prevenção, como por exemplo, a prática do ‘aceiro’, que é a limpeza de uma determinada faixa de solo, deixando assim o terreno descoberto, o que impede que o fogo ultrapasse a área em caso de queimadas, ou até mesmo a construção de locais para a captação de água.

Nos casos dos terrenos urbanos as queimadas são proibidas durante todo o ano, havendo desrespeito a lei os autores, se flagrados, também podem ser punidos.

As fiscalizações são feitas em parceria entre Os governos federal, estadual e municipal, o que tende a facilitar as denuncias que podem ser feitas através dos telefones, (66) 3570 1602 (Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente), e/ou  0800 65 3838 (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Sema).

Confira a lista, em ordem, das cidades 20 cidade que estão sob alerta:

Nova Maringá, Feliz Natal, Querência, Nova Ubiratã, Sapezal, Gaúcha do Norte, Paranatinga, Brasnorte, Santa Carmem, Nova Mutum, São Félix do Araguaia, Sorriso, Tapurah, São José do Rio Claro, Marcelândia, Porto dos Gaúchos, Tangará da Serra, Ribeirão Cascalheira, Vera e Tabaporã. O bioma mais atingido é a Amazônia, onde se concentram 3.499 focos de calor, seguido pelo Cerrado, com 2.072 focos e 93 no Pantanal.

Planejamento estadual 2015:

O Governo do Estado já garantiu R$ 1,7 milhão de investimentos nas ações referentes ao Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas (PPCDQ/MT) deste ano. Estão envolvidos nesse atendimento 75 bombeiros que atuarão diretamente com fogo nas 17 unidades do Corpo de Bombeiros e também nas cinco brigadas mistas e 10 bases descentralizadas de circulação nas quatro principais regiões do Estado.

Queimadas x foco de calor:

A relação queimada e foco de calor não é direta, pode haver uma grande área de queimada com vários focos de calor ou pequenas áreas de queimada identificadas como um foco apenas. Focos de calor é uma expressão utilizada para interpretar o registro de calor captado na superfície do solo pelos satélites.

Qualquer temperatura registrada acima de 47°C é registrada, o que não é necessariamente um foco de fogo ou incêndio. Já a queimada é uma antiga prática agropastoril ou florestal que utiliza o fogo de forma controlada para viabilizar a agricultura ou renovar pastagens, mas que deve ser autorizada pela Sema (fora do proibitivo). Os incêndios florestais consistem no fogo sem controle que incide sobre a vegetação, provocado pelo homem (intencional ou negligência) ou de causa natural, como raio solares, por exemplo.

Fonte: Assessoria de Imprensa

About The Author
newsmt