Você está lendo:
Nova Ubiratã: Testemunha confirma à Justiça participação de Itamar e Freitas no tráfico
0

Nova Ubiratã: Testemunha confirma à Justiça participação de Itamar e Freitas no tráfico

by newsmtnovembro 28, 2014

Durante depoimento no Fórum da Comarca de Nova Ubiratã, no dia 25 de novembro, a testemunha Neimar Gilberto Sousa Rosa confirmou a participação dos vereadores José Itamar Marcondes e Reinaldo de Freitas no tráfico de drogas em Nova Ubiratã.

Os vereadores, que permanecem detidos na cadeia pública de Sorriso, e os demais acusados — Geovane Melo Silva, Alessandro Almeida Miranda, Iago Vinícius de Santos Silva e os advogados Walter Djones Rapuano e Antonio Lenoar Martins — também foram ouvidos.

Os depoimentos foram tomados pelo juiz Jacob Sauer e pelo promotor Carlos Zarour. As oitivas duraram cerca de cinco horas e fazem parte da segunda parte do processo instrutivo, iniciado no último dia 29 de outubro, quando 14 testemunhas de acusação e defesa foram ouvidas.

Entenda o caso

Itamar e Freitas foram presos no dia 17 de julho pela operação do Ministério Público Estadual e da Promotoria de Justiça do município e Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

São acusados de chefiar o tráfico de drogas em Nova Ubiratã. O vereador Itamar também responderá por porte ilegal de armas. O Gaeco encontrou com ele um revólver calibre 38. Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão.

De acordo com o Ministério Público, além dos vereadores mais seis pessoas foram denunciadas e já estavam presas. Elas são acusadas de tráfico de drogas, associação ao tráfico e corrupção de menor.

A denúncia inclui, ainda, dois advogados que não estão presos, mas irão responder por coação no curso do processo, ameaça e oferecimento de vantagem indevida para alteração de depoimentos.

Conforme a denúncia, o grupo chegou a oferecer R$ 15 mil pela execução de um sargento e de um soldado da Polícia Militar que atuavam nas investigações.

Drogas

Além da venda de entorpecente, eles adquiriram, prepararam, transportaram, armazenaram e ofereceram o produto para consumo. A comercialização da droga, conforme o MPE, foi realizada, inclusive, dentro da Cadeia Pública de Nova Mutum e em uma escola de Nova Ubiratã.

Os entorpecentes, segundo o Ministério Público, eram adquiridos em Cuiabá e Sorriso e guardados em um depósito que funcionava dentro de estabelecimento comercial, na cidade de Nova Ubiratã.

O local era utilizado como ponto de encontro dos traficantes que, sob o pretexto de cortar o cabelo, se reuniam para preparar e combinar a venda dos entorpecentes. Para isso, menores eram cooptados para fazer a distribuição.

As porções de droga eram embaladas e preparadas em pequenas trouxas amarradas com fio dental e comercializadas a R$ 20, R$ 30 e R$ 50. Existia, ainda, a opção por porções maiores, denominadas “Caixa”, cujo valor era de R$ 200.

Investigação

Conforme o Ministério Público, a quadrilha começou a ser desbaratada com a operação “Pistolagem em Neve Branca” realizada pela Polícia Civil em parceria com a Polícia Militar.

Foi constatado, durante as investigações, que a associação criminosa era chefiada pelos vereadores Reinaldo de Freitas e José Itamar Marcondes.

Além deles, também foram denunciados Geovane Melo Silva, Alessandro Almeida Miranda, Iago Vinícius de Santos Silva, Neimar Gilberto Sousa Rosa, Walter Djones Rapuano e Antonio Lenoar Martins.

Adolescentes

Pelo menos, sete adolescentes foram aliciados pela quadrilha chefiada pelos vereadores a venderem drogas dentro da Escola 19 de dezembro. Segundo o Ministério Público, vários jovens foram induzidos pela quadrilha a consumir drogas.

Fonte: Redação com Hoje News

 

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?