Você está lendo:
Nova Ubiratã: Vereador quer explicações detalhadas do Projeto de Tanques de peixes em Nova Ubiratã

Nova Ubiratã: Vereador quer explicações detalhadas do Projeto de Tanques de peixes em Nova Ubiratã

O vereador pelo município de Nova Ubiratã, Leonildo Antônio (NANA-PV), disse para o site Acontece News MT, que irá requerer através de requerimento na Câmara de vereadores na próxima sessão, informações junto ao Prefeito Municipal, Valdenir Jose dos Santos, secretaria de Agricultura e Meio-Ambiente, se foi feito alguma parceria com o falso Assistente Técnico, preso pela policia civil acusado de aplicar golpe em Projetos de Tanques de peixes em Nova Ubiratã e região.

O falso Assistente Técnico, que de acordo com o vereador passou por Nova Ubiratã, é acusado de aplicar golpe em pelo menos 36 produtores rurais das cidades de Colíder, Feliz Natal e Nova Ubiratã, o homem de 66 anos foi preso pela Polícia Judiciária Civil (PJC) na quinta-feira (31), na cidade de União do Sul.

As informações dão conta de que o suspeito visitava as propriedades rurais e se apresentava como sendo assistente técnico e oferecia os serviços de licença ambiental e técnico para criação de peixes em tanques. Para isso, o dono da área rural teria que pagar R$ 3 mil.

O idoso prometia fazer o registro dos tanques junto à Secretaria de Estado de Meio-Ambiente (Sema). Com essa conversa, o suspeito conseguia aplicar um golpe de R$ 100 mil. Os valores poderiam ser pagos em três vezes. A primeira parcela era antes de qualquer atividade realizada. Nesta parte eles fechavam o contrato. Depois ele recebia a segunda parcela apresentando a “publicação” do projeto no Diário Oficial. O documento era falso.

E por fim, recebia a última parcela 30 dias depois. De acordo com as informações da Sema, o idoso não tem liberação ou autorização para desempenhar a atividade.

Ele, o falso Assistente Técnico, foi levado para delegacia, onde prestou esclarecimentos ao delegado de plantão.

O investigador de União do Sul, Bruno Caetano Moro, informou que foi arbitrada uma fiança no valor de quatro salários mínimos, totalizando R$ 3,2 mil. O idoso pagou e ganhou o direito de responder o processo em liberdade.

“Eu fui procurado por alguns moradores dos distritos. Precisamos saber se existiu alguma parceria da prefeitura ou da secretaria com este cidadão. Infelizmente, pessoas foram lesadas com as falsas promessas. Então, temos que saber se aconteceu ou não alguma ligação da Secretaria de Agricultura, ou, se teve apoio da prefeitura financeiramente. Vou levar a demanda para o conhecimento dos demais vereadores e analisarmos as medidas cabíveis para este caso”, disse o vereador.

“Vou propor na próxima sessão para que seja feito um levantamento dos sitiantes que foram enganados e incentiva-los a mover um processo contra o falso técnico para que ele ressarce estes valores”, finalizou.

Da Redação