Você está lendo:
País registra queda de 90% nos casos de Dengue em relação ao mesmo período de 2016

País registra queda de 90% nos casos de Dengue em relação ao mesmo período de 2016

O Brasil registrou queda de 90% no número de casos de Dengue nos três primeiros meses do ano, em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com o Ministério da Saúde, neste ano já foram notificados 90.281 casos prováveis da doença em todo país. No ano passado, este número ultrapassava de 947 mil casos. Mas e você? Sabe identificar quais são os sintomas da doença? A infectologista Eliana Bicudo dá mais detalhes.
Eliana Bicudo, infectologista.
“Os sintomas da Dengue sempre são: febre, dor muscular, dor no corpo inteiro, muitas das vezes mais acentuada nas pernas, e náuseas, ou seja, enjoo, diarreia e algumas pessoas, não necessariamente, vao apresentar manchas vermelhas pelo corpo. A gravidade da Dengue é quando isso evolui para uma desidratação. É aí que a Dengue pode ficar grave.”
Por isto que é importante tomar muito líquido enquanto está doente, afinal, a Dengue mata! E falando em mortes relacionados à doença, neste ano houve uma queda expressiva no número de óbitos decorrentes da Dengue. Esta redução foi de 97%, passando de 411 em 2016, para 11 em 2017. Recentemente, o Ministério da Saúde anunciou que vai destinar R$ 10 milhões para pesquisas direcionadas à Dengue, Zika e Chikungunya. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, conta quais são os investimentos que tem sido feitos pelo governo federal para ampliar o conhecimento e a prevenção da Dengue.
 
Ricardo Barros, ministro da Saúde.
“Nós já investimos muitos recursos. Nós tivemos os R$ 100 milhões da vacina da Dengue do Ministério da Saúde, mais R$ 100 milhões do BNDES, mais R$ 100,00 milhões do Ministério de Ciência e Tecnologia. Já está em testes em humanos a vacina da Dengue. Muito bom o resultado, muito boa a efetividade. Então, há um esforço enorme nosso, de produção de conhecimento, de apoiar quem quer fazer desenvolvimento para que a gente possa não só atender esta demanda, como compartilhar com o resto do mundo este conhecimento.”
O motorista Arinaldo Ferreira, de 48 anos, que mora no Amapá, conta que teve Dengue e sente sequelas até hoje.
Arinaldo Ferreira, 48 anos, motorista.
“Era para nos termos mais cuidado, né? Porque não adianta eu limpar o meu terreno, limpar o meu quintal, se meu vizinho do lado, meu vizinho da frente, não tem cuidado com o dele. Eu também vou ser infectado junto com ele. Essa experiência para mim, foi uma experiência muito ruim, porque eu tive várias dores no corpo, bastante dor mesmo. Doía meu corpo todo. Muitas dores de cabeça. Eu pensei que ia até quebrar os meus ossos, de tanta dor que dava e frio. Eu fiquei com problema de audição. Hoje, para eu deitar a noite, se eu deitar no lado esquerdo, eu sinto dificuldade para escutar as coisas. E também o meu olfato, né? Até hoje eu falo que eu fiquei com sequelas por causa disso.”
Agora, o que a população deve fazer é continuar tomando medidas de prevenção. Cuidados simples e de rotina podem salvar vidas, afinal, sem o mosquito, não há ameaça. Para saber mais informações sobre Dengue, Zika e Chikungunya, acesse saude.gov.br/combateaedes.