Você está lendo:
PF desarticula em MT quadrilha do tráfico internacional de cocaína
0

PF desarticula em MT quadrilha do tráfico internacional de cocaína

by newsmtjulho 8, 2015

Quadrilha tinha base na cidade de Pontes e Lacerda e conexão em outros Estados, além da Europa

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (8), em Mato Grosso e em outros três Estados, a “Operação Hybris”, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa voltada ao tráfico internacional de drogas.

De acordo com a PF, o bando era responsável por movimentar cerca de R$ 30 milhões ao mês com a grife “Superman Pancadão”.

Durante a investigação, foram apreendidas cerca de quatro toneladas de cocaína e US$ 2 milhões, além de 32 pessoas presas em flagrante.

Para atestar a qualidade do produto, os criminosos rotulavam a droga com a imagem do personagem “Superman”, seguida da palavra “Pancadão”, que remete ao líder da organização.

A quadrilha atuava no município de Pontes e Lacerda (448 km a Oeste de Cuiabá) e fazia frequentes carregamentos de cocaína da Bolívia para os estados de São Paulo, Minas Gerais, Maranhão, Goiás, Pará e Maranhão e ainda para a Europa.

No total, serão cumpridas 88 ordens judiciais, expedidas pelo juiz da 1ª Vara Federal de Cáceres.

Os mandados de buscas e apreensões estão sendo realizados nos municípios de Cuiabá, Cáceres, Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade, e nos Estados de São Paulo, Tocantins e Minas Gerais.

Também estão sendo apreendidos bens de alto valor, veículos, fazendas, apartamentos, casas, aeronaves, armas e dinheiro em espécie que são fruto da atividade criminosa e que são utilizados para o próprio tráfico de drogas.

De acordo com a PF, o inquérito policial foi iniciado em 2013, a partir de informações de inteligência coletadas durante a Operação Sentinela, do Ministério da Justiça.

Ainda de acordo com a Polícia Federal, o grupo é fortemente estruturado e hierarquizado, com liderança firme e divisão de tarefas, incluindo a participação de casas de câmbio para a compra de dólares utilizados na negociação e a adoção de práticas violentas para aterrorizar inimigos e moradores da região de fronteira.

Também possui ligações políticas, que culminaram na utilização de empresas fantasmas e contratos com órgão público municipal para lavar o dinheiro obtido com o tráfico.

Para a operação, estão sendo utilizados 220 policiais federais, contando com o apoio do Exército Brasileiro e da Polícia Rodoviária Federal.

Hybris

Segundo a Polícia Federal, o nome da operação remete a um conceito grego que pode ser traduzido como “tudo que passa da medida, “descomedimento” e que, atualmente, alude a uma confiança excessiva, um orgulho exagerado, presunção, arrogância ou insolência, que com frequência termina sendo punida.

Fonte: Do Mídia News

About The Author
newsmt