Você está lendo:
PF inicia investigação sobre sumiço de 2 homens em pedágio
0

PF inicia investigação sobre sumiço de 2 homens em pedágio

by newsmtdezembro 11, 2015

Órgão não descarta nenhuma possibilidade no caso; alvos são índios da etnia enawenê-nawê

A Polícia Federal está realizando levantamentos na região onde vivem os índios da etnia enawenê-nawê, em Juína (735 km a Noroeste de Cuiabá), para investigar o desaparecimento de dois jovens.

Segundo a Superintendência da PF em Cuiabá, nenhuma possibilidade é descartada nas investigações.

Entre as suspeitas, existe a possibilidade de que os dois rapazes – Marciano Cardoso Mendes, 27, e Genes Moreira dos Santos, 24 – tenham sido mortos pelos índios, após “furarem” bloqueio em um pedágio na BR-174.

O delegado federal Hércules Ferreira Sodré chegou ao município na manhã desta sexta-feira (11). Ele foi ao local para descobrir o paradeiro dos homens.

Para se deslocar a Juína, a equipe da Polícia Federal de Cuiabá utilizou um avião. Desde que chegaram ao município, os membros da PF estão realizando diligências na região.

Todas as hipóteses para o sumiço dos rapazes estão sendo analisadas pela instituição, segundo a assessoria de imprensa.

Até o momento, não há informações concretas sobre o paradeiro dos dois.

A PF informou que está colhendo análises na região, além de depoimentos que possam ajudar nas investigações.

O local para onde supostamente os rapazes teriam sido levados também está sendo analisado.

As informações preliminares da PF, que instaurou inquérito para apurar o caso, apontam que os jovens teriam “furado” um pedágio controlado pelos índios, na BR-174, sentido Juína/Vilhena-RO (Noroeste de MT).

Há a suspeita de que um dos jovens teria disparado tiros contra uma placa da rodovia, após verificar o bloqueio dos indígenas.

Divulgação

Rapazes - sumiço

Marciano e Genes sumiram em pedágio de índios, na BR-174

Depois dos disparos, os homens teriam sido pegos por índios que realizavam a cobrança de pedágio elevados para uma aldeia da região.

Marciano e Genes saíram de Juína, na manhã de quarta-feira (9), com destino a Rondônia, para comprar roupas para serem revendidas na loja de um deles na cidade.

Governo pediu reforços

Nesta sexta-feira (11), durante inauguração da 14ª Companhia do Corpo de Bombeiros Militar, em Juína, o governador Pedro Taques (PMDB) disse que conversou com as famílias dos jovens desaparecidos.

Taques contou que informou os familiares dos rapazes que, no dia do desaparecimento, ligou para o ministro da Justiça e fez um apelo por uma ação da Polícia Federal no local.

O governador reforçou que entrará em contato novamente com o ministro, para que a ação possa ocorrer em um curto espaço de tempo. Ele também destacou que as forças de segurança do Estado estão preparadas para dar auxiliar a PF.

PF e Funai

Pelo fato de envolver índios, o caso tornou-se responsabilidade da Polícia Federal e da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Em nota, a Funai informou que acionou o Ministério da Justiça sobre a situação, para que a PF fosse chamada para cuidar do caso.

O órgão disse que aguarda um posicionamento da PF para se posicionar sobre a situação.

Os índios

Os enawenê-nawês falam uma língua da família aruák e vivem em uma única grande aldeia próxima ao rio Iquê, afluente do Juruena, no Noroeste de Mato Grosso.

Neste ano, eles passaram a cobrar pedágios dos motoristas que trafegarem pela rodovia estadual MT-174, na ponte sob o rio Juruena, a 60 km do perímetro urbano de Juína.

Fonte: Com Midia News

About The Author
newsmt