Você está lendo:
Pistolagem Neve Branca: Delegado de Policia de Sorriso esclarece prisão de vereadores de Nova Ubiratã
0

Pistolagem Neve Branca: Delegado de Policia de Sorriso esclarece prisão de vereadores de Nova Ubiratã

by newsmtjulho 17, 2014

Tomou enorme repercussão a Operação “Pistolagem Neve Branca“, que culminou com a detenção dos vereadores José Itamar Marcondes e Reinaldo de Freitas efetuada pelo GAECO nas primeiras horas da manhã da ultima quarta feira – 16 de julho. Os dois foram conduzidos para a Delegacia de Policia de Sorriso e o inquérito conduzido pelo delegado Dr. Walter de Mello, que buscou esclarecer a detenção dos dois como envolvimento e associação ao tráfico de entorpecente e porte ilegal de arma de fogo. “A Operação “Pistolagem Neve Branca”, foi deflagrada em conjunto com a Policia Civil, Policia Militar e Ministério Público de Nova Ubiratã, diante da grave situação que se encontrava o trafico de droga naquele município, tanto que foram realizadas neste ano mais de dez detenções de envolvidos com a droga e inclusive a apreensão de menores envolvidos na prática e no decorrer destas investigações surgiu o envolvimento dos dois vereadores”, comentou a autoridade policial civil.

Investigações levaram traficante apadrinhado para a prisão
As investigações sigilosas dos três órgãos – PM DJC e MP – desde interceptação telefônica e outra medidas como quebra de sigilo bancário e fiscal, trabalho este para embasar toda a investigação efetuada e foi comprovado de que todos os detentos comprovavam o envolvimento de Alexander Miranda e que este foi morar no município de Nova Ubiratã a convite do vereador Reinaldo de Freitas.

Chamou a atenção dos policiais que após a chegada de Alexander no município é que foram intensificadas as detenções – inclusive de menores – de envolvidos com o comercio de entorpecente. “Chegava todos os dais até o conhecimento das policias uma serie de denúncias de que Alexander estava diretamente envolvido na venda de droga e envolvimento de menores até mesmo dentro de escolas do município, o que gerou várias abordagens da Policia Militar, mas não haviam logrado êxito em apreender droga com o mesmo”, destacou Dr. Walter.

Mas as investigações não pararam por ai e num determinado momento foi possível efetuar a prisão em flagrante de Alexander, pelo envolvimento com droga. Foi encontrado setenta gramas de acido bórico e no forro de seu carro uma grande quantidade de entorpecente pronta para o consumo e chegada a conclusão de havia a cooptação de menores que efetuavam a venda de entorpecente, e muitos confirmaram de que a droga era adquirida junto ao Alexander Miranda.

“Em virtude de ter sido o vereador Reinaldo de Freitas, que havia levado Alexander para Nova Ubiratã e ter dado suporte material em conjunto com o vereador José Itamar, efetuamos o indiciamento deles, pelos crimes de trafico de droga e associação ao trafico de entorpecente”, ressaltou o delegado.

Pistolagem: Policiais estavam marcados para morrer

Um fato que chamou sobremaneira a atenção dos órgãos – MP, DJC e PM – que efetuavam as investigações foi a movimentação política dos vereadores no intuito de que os PMs daquela cidade fossem removidos daquele NPM. “Como os policiais estavam batendo de frente com o tráfico de drogas, de forma contundente e os militares chegaram a ser ameaçados e um traficante que foi preso e que virou testemunha, pela revelação da forma com que trafico era efetuado em Nova Ubiratã, revelou também de que foram efetuadas tratativas até mesmo para mandar matar os policiais, já teriam até procurado um criminoso, de nome “Cabelo” para efetuar uma pistolagem, o que acabou dando o nome da Operação”, revelou o delegado.

As tratativas eram para que policiais – comandante e de um soldado que fez o levantamento das bocas de fumo na cidade – fossem mortos. “A ação contundente da PM de forma enérgica foi que despertou a ira dos vereadores que se articularam e parte desta articulação foi acompanhada pela Policia Civil que concluiu o inquérito policial, que posteriormente foi encaminhado para o Ministério Público que já acompanhava estas investigações e a representação pela prisão preventiva foi efetuada, sendo que o MP foi que tomou uma série de medidas cautelares e as detenções foram cumpridas pelo GAECO”, comentou Dr. Valter de Mello.

Revolver e munição apreendidos na residência de vereador
A função do GAECO foi além das detenções dos dois vereadores envolvidos na Operação “Pistolagem Neve Branca”. Na residência do vereador José Itamar foi encontrado um revolver – calibre 38 – com treze munições intactas. “Ele vai responder por crime de posse ilegal de arma de fogo, sendo que alegou que estaria sendo perseguido e teria a arma para proteger a sua família e que a perseguição começou após ter iniciado as investigações”, destacou o delegado que mostrou-se altamente satisfeito com o resultado da Operação.
“Fiquei feliz de ter participado desta operação, por que o trabalho conjunto das policias e do Ministério Público, atuando de forma coesa e trazendo um resultado altamente positivo para aquela comunidade e tenho certeza de que teremos uma redução enorme nas ocorrências envolvendo trafico de entorpecente”, concluiu o delegado, ressaltando que alguns pontos ainda poderão revelar novidades, por que o prazo para conclusão do inquérito era de sessenta dias e este prazo foi considerado muito curto.

Fonte: Fernando Luis / jornalismo

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?