Você está lendo:
PRECARIEDADE: Estradas de MT precisam de R$ 2,38 bi em investimentos
0

PRECARIEDADE: Estradas de MT precisam de R$ 2,38 bi em investimentos

by newsmtnovembro 5, 2015

Pesquisa mostra que 60,2% da extensão de rodovias do Estado têm alguma deficiência

Mais da metade (60,2%) das rodovias federais e estaduais que cortam Mato Grosso são consideradas de qualidade regular, ruim ou péssima em relação à pavimentação, sinalização ou geometria da via.

Os dados fazem parte da pesquisa anual da Confederação Nacional do Transporte (CNT) sobre a qualidade das estradas no país. No Estado, foram percorridos  4.640 km no ano de 2014.

O estudo apontou que reverter esse cenário demandaria investimento tão alto, que seu valor equivaleria a 14,4% do orçamento de Mato Grosso em 2016, estimado pelo governo em R$ 16,5 bilhões. Ou seja, R$ 2,38 bilhões.

Na avaliação realizada no pavimento – que são consideradas as condições da superfície da pista principal e do acostamento -, o estudo classificou como regular, ruim ou péssimo 56,7% da extensão avaliada no Estado, enquanto que 43,3% foram considerados ótimos ou bons.

Já em relação à sinalização – onde foram observadas a presença, a visibilidade e a legibilidade de placas ao longo das rodovias, além da situação das faixas centrais e laterais -, a pesquisa apontou que 45,9% apresentaram problemas. Em 54,1%, ela é ótima ou boa.

Em termos de geometria, ou seja, em ralação à presença de faixa adicional de subida, pontes, viadutos, curvas perigosas e acostamento, a pesquisa constatou que 71,9% não estão em condições satisfatórias. Apenas 28,1% tiveram classificação ótima ou boa.

A CNT constatou ainda que, por conta dessas condições, o custo operacional chega a subir 30,7% no transporte viário.

O estudo apontou também,  que as rodovias estaduais foram as que apresentaram mais notas “ruim” ou “péssima”, como as MTs 483 e 246. Já as federais são as que tiveram mais notas “regular”, como as BRs 163 e 364.

Veja mais dados da pesquisa AQUI.

Outro lado

O Governo do Estado destacou que os dados da pesquisa são referentes ao ano de 2014, e que agora, muitas delas, já receberam melhorias.

Lembrou que em julho foi anunciada a liberação de R$ 1,4 bilhão para investimentos em infraestrutura rodoviária e, ainda, que mais de R$ 60 milhões já foram aplicados na recuperação emergencial das estradas e de pontes no início do ano.

Já a concessionária Rota do Oeste,  responsável pela administração da BR-163 no Estado, informou, por meio de nota,  que os trechos analisados só passaram a ser de sua responsabilidade em agosto deste ano.

Mesmo assim, destacou  que três trechos da estrada federal apresentaram melhoras na classificação de qualidade por parte da CNT em seu levantamento de 2015.

Uma delas é o segmento da rodovia federal BR-364/163 entre Cuiabá e o município de Jangada (a 82 quilômetros de distância), que passou da classificação “ruim” para “regular”.

Também houve mudança na classificação por parte da CNT nos trechos da rodovia BR-163 entre os municípios de Sorriso e Sinop (respectivamente a 420 e 503 quilômetros da Capital) e entre o município de Rondonópolis (a 212 quilômetros) e a divisa com o estado de Mato Grosso do Sul.

Em ambos os segmentos a classificação de qualidade do levantamento da CNT mudou de “regular” para “bom”.

About The Author
newsmt