Você está lendo:
Prefeito de Juscimeira abandona cidade e vice cobra que renuncie
0

Prefeito de Juscimeira abandona cidade e vice cobra que renuncie

by newsmtjaneiro 5, 2016


O vice-prefeito de Juscimeira (a 157,5 km de Cuiabá) Daniel Barbosa (PR) duvida que o prefeito Valdecir Luiz Colle, o Chiquinho do Posto (PSD), cumpra a promessa de renunciar ao cargo ainda em janeiro. Segundo o republicano, a cidade enfrenta situação de caos administrativo e o gestor sequer comparece para cumprir o expediente na sede da prefeitura.

“O Chiquinho do Posto já perdeu a credibilidade. Acho muito difícil que ele renuncie. Não tem peito nem atitude para tomar uma decisão dessas. Enquanto isso, a população sofre com os desmandos”, declarou Barbosa em entrevista ao Rdnews.

Rompido com Chiquinho do Posto desde o início de 2015, Daniel Barbosa diz que está pronto para assumir caso a renúncia se concretize. Entretanto, não acredita que será possível colocar a administração municipal em ordem até 31 de dezembro quando encerra a atual gestão. “Fui prefeito entre 1982 e 1988. Tenho experiência, mas o Chiquinho e seu grupo político estão acabando com a cidade. Será difícil consertar”, completa.

Segundo Barbosa, diversas obras estão paralisadas e o município não recebe recursos provenientes de convênios porque está no Cadastro Informativo de Créditos Não Quitados do Setor Público Federal (Cadin). Afirma também que as ruas estão sujas e esburacadas e a folha salarial comprometida pela falta de gestão. “O desmando é total e o prefeito não assume suas responsabilidades”.

Gestão

A gestão de Chiquinho do Posto, que foi presidente da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM) entre 2013 e 2014, enfrenta problemas administrativos desde o início do mandato. Em 12 de agosto de 2013, os servidores municipais paralisaram as atividades por conta dos constantes atrasos salariais.

Em 12 de agosto de 2014, Chiquinho do Posto foi afastado do cargo pela Justiça em razão de ter incorrido em supostas irregularidades na área de Saúde como cobrança pela realização de exames médicos como falta de medicamentos e do transporte dos pacientes que realizam hemodiálise em Rondonópolis. Retornou às funções em 04 de setembro daquele ano amparado por liminar.

Ainda em 2014, Chiquinho do Posto foi multado pelo Tribunal de Contas em 90 UPF, equivalente a R$ 5,3 mil, por 41 irregularidades detectadas nas contas da AMM. Entre os problemas estavam informações não prestadas ao órgão controlador e falhas em procedimentos licitatórios.

Fonte: RDNews

About The Author
newsmt