Você está lendo:
Prefeitura de Pedra Preta garante verba para realização de evento, mas dá calote

Prefeitura de Pedra Preta garante verba para realização de evento, mas dá calote

Um evento que tinha tudo para ser especial, o pacato Distrito de Garça Branca, no município de Pedra Preta recebeu nos dias 23 e 24 de abril, uma etapa do campeonato estadual de Motocross, o evento ocorreu esportivamente como planejado, mas foi fora dele quase não aconteceu por conta da falta de compromisso da prefeitura de Pedra Preta, que segundo o piloto local Lauri Luís Ecke, não honrou com o que foi acordado em reuniões e em um contrato firmado antes do evento.

O esportista foi convidado pela administração municipal para realizar o evento de motocross, no Distrito de Garça Branca. “ No início do ano levei a notícia a prefeitura que havia conseguido trazer para Pedra Preta, uma etapa do estadual de motocross, um evento de grande porte e que há muito tempo não ocorria na região. Desta forma a prefeitura concordou em realizar o evento e patrociná-lo, e ficou acertado que eu cuidaria da organização”, explicou.

Com a experiência de organizar sete etapas da modalidade, Lauri montou uma estrutura necessária e contando é claro com a verba de cerca de R$ 47 mil reais prometidos para realização da etapa, que seria usado para pagar fornecedores, som, segurança dentro e fora da pista, além da premiação dos pilotos. “Na véspera da etapa, no sábado (23) a prefeita Mariledi nos procurou para informar que teria condições de repassar a verba para a realização do evento, por conta segundo ela, devido ao suposto convenio não havia chegado a tempo”, disse Lauri.

A etapa estava em risco de não ocorrer e só depois de Lauri Luís explicar que não haveria como cancelar a competição, uma parte dos R$ 47 mil foi providenciado. “

Nós tínhamos 80 pilotos na etapa, além de toda a estrutura montada e não teria como não acontecer, daí foi conseguido um cheque de terceiros por parte da prefeita e pelo menos a premiação aos pilotos foi paga, mas ainda falta muita coisa como o caminhão pipa, o som, segurança, hotel e alimentação e outros fornecedores e até hoje a prefeitura não repassou o restante da verba”, contou.

Depois de comparecer na prefeitura várias vezes, para tentar receber a parte que falta do contrato, cerca de R$ 23 mil e não obter sucesso, o piloto e organizador se sente enganado pelo poder público e diz não poder arcar com o prejuízo. “ Eu me sinto muito mal diante dos fornecedores, pois a prefeitura não conseguiria organizar o evento sozinha e agora quer dar o calote, ela foi no dia do evento e fez a festa na hora da premiação e não quer honrar com o compromisso”, desabafou Lauri.

Diante da última negativa em quitar a divida, o organizador da prova resolveu protocolar na Controladoria Geral do Município de Pedra Preta e formalizou uma denúncia contra a própria prefeitura e aguarda providencias.

Nossa produção tentou contato com a prefeita Mariledi Araújo, mas não obtivemos resposta.

1 2

FONTE: EMERSON DOURADO/Gazeta MT