Você está lendo:
Primeira-dama evita intimação, mas Gaeco quer ouvi-la este mês
0

Primeira-dama evita intimação, mas Gaeco quer ouvi-la este mês

by newsmtnovembro 17, 2014

Operação Arqueiro investiga direcionamento de licitações em contratos milionários

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ligado ao Ministério Público Estadual (MPE), espera ouvir ainda neste mês a primeira-dama do Estado Roseli Barbosa, na Operação Arqueiro.

A operação investiga um suposto esquema de favorecimento em licitações e desvio de dinheiro público da Setas (Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social),por meio de contratos milionários com instituições sem fins lucrativos.

“Não conseguimos intimá-la a tempo e, por isso, vamos ouvi-la em outra data, possivelmente ainda neste mês”

Roseli comandou a Setas até o final de fevereiro deste ano, quando se desligou do cargo, semanas antes da operação ser iniciada.

Segundo o Gaeco, a expectativa era que a primeira-dama fosse ouvida na última terça-feira (11). Mas ela não foi encontrada para ser intimada.

“Não conseguimos intimá-la a tempo e, por isso, vamos ouvi-la em outra data, possivelmente ainda neste mês”, afirmou o promotor de Justiça Arnaldo Justino, que coordena as investigações da Arqueiro.

Segundo ele, 21 pessoas já foram ouvidas, entre servidores da Setas, empresários e prestadores de serviço.

“Nas duas últimas semanas intensificamos as oitivas. Mas muitas pessoas ainda serão ouvidas, na semana que vem e nas próximas, finalizando-se, então, a investigação e passando-se à fase da ‘opinio delict’”, afirmou Justino ao MidiaNews.

O promotor de Justiça evitou comentar o conteúdo dos depoimentos tomados e qual a linha do interrogatório que será feito com Roseli Barbosa.

“A investigação é sigilosa e não podemos comentar nada antes do oferecimento da denúncia”, disse.

Contratos suspeitos

Nos bastidores, sabe-se da importância do depoimento da primeira-dama Roseli Barbosa, já que os contratos suspeitos, da ordem de R$ 20 milhões, foram celebrados na sua gestão.

Segundo informações extraoficiais, nas escutas realizadas na Operação Arqueiro haveria interceptações telefônicas da primeira-dama, em conversas sobre os contratos.

A primeira-dama estaria passando uma tmeporada em São Paulo, em visita a um de seus filhos, o que dificultou sua intimação pelo Gaeco.

Midia News

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?