Você está lendo:
Promoções marcam dia nacional do Corpo de Bombeiros:

Promoções marcam dia nacional do Corpo de Bombeiros:

Bombeiros - Alunos Novos.

Em homenagem ao Dia Nacional dos Bombeiros Militares, comemorado em 02 de julho, o Comando Geral dos Bombeiros Militar de Mato Grosso realiza nesta sexta-feira (1º.07) uma solenidade militar com todas as unidades da região metropolitana da capital. O evento terá início às 18 horas na Arena Pantanal, em Cuiabá.

Na ocasião, também será realizada a  86 bombeiros militares, sendo seis a tenentes-coronéis, sete para capitães, oito a 2° tenentes, dez para 2° tenentes por requerimento. No caso dos praças, serão dois promovidos a 1° sargento, cinco a 2° sargento, um a 3° sargento e 47 para 3° sargento.

O evento promove a instituição e o valor de cada homem que atua salvando vidas e patrimônios. Para o comandante geral adjunto, coronel Sandro Caillava a data faz com que a sociedade reflita a importância dos bombeiros para qualquer cidade e destaca a atuação do militar para servir a todos.

“Os bombeiros estão presentes em vários campos de atuação, atendendo tragédias, epidemias, catástrofes, incêndios e emergências médicas, além da fiscalização em edificação e resgate de vitimas em acidentes, entre outros. Nossa missão é árdua, não para. E estaremos sempre dispostos a enfrentar as diversas situações para garantir a vida”, ressaltou Caillava.

Dia Nacional dos Bombeiros

No Brasil, a história do Corpo de Bombeiros começa em 1856. O decreto, assinado pelo Imperador Dom Pedro II, instituiu o Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, no Rio de Janeiro. Foram reunidas as seções de Bombeiros que existiam para o serviço de extinção de incêndios na Casa do Trem (Arsenal de Guerra).

O primeiro serviço contra incêndios era responsável por orientar medidas de socorro, cabendo à equipe técnica a supervisão dos trabalhos de salvamento e extinção do fogo. Apesar dos equipamentos utilizados serem rudimentares, a cidade já não se mobilizava desordenadamente. Aos poucos, ia-se organizando o núcleo oficial do Corpo de Bombeiros.

Os arsenais deixaram de ser os únicos responsáveis pelos incêndios. Embora contassem com melhores equipamentos e pessoal mais especializado, possuíam a colaboração da Repartição de Obras Públicas e de funcionários da Casa de Correção.

Naquela época, o sinal de fogo era dado por tiros de peças do Morro do Castelo, onde uma bandeira vermelha era içada. Em seguida, o toque era convencionado do sino da Igreja de São Francisco de Paula, indicando o lugar do sinistro.

Em 1880, a Corporação passou a ter organização militar e, foram concedidos postos e insígnias aos seus componentes. Com o passar dos anos, equipamentos mais sofisticados foram fornecidos e viaturas mecânicas passaram a ser utilizadas.

A atuação dos bombeiros militares passa também por atendimentos pré-hospitalares em caso de trauma, salvamentos em altura e na água, além das atividades de busca e defesa civil.