Você está lendo:
Quadrilha que trocou tiro com deputado é investigada em 10 roubos:

Quadrilha que trocou tiro com deputado é investigada em 10 roubos:

15746

A quadrilha autuada em flagrante na tentativa de assalto ocorrida no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá, tendo como vítima um assessor e o deputado estadual, coronel da Polícia Militar (PM) Pery Taborelli, é investigada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), da Polícia Judiciária Civil, em mais de 10 roubos em residências e no latrocínio que culminou na morte do agente do Sistema Socioeducativo, Sidney Carlos da Silva Alves.

A prisão de quatro membros do grupo foi uma ação conjunta da Polícia Militar e Polícia Civil, por meio da Derf, que já tinha a qualificação dos bandidos. O deputado Taborelli e o assessor foram algumas das últimas vítimas do grupo, que vinha cometendo uma série de assaltos em residências localizadas em regiões nobres, como os bairros Santa Rosa, Morada do Ouro, Boa Esperança e Jardim das Américas.

O deputado prestou depoimento, na manhã desta quinta-feira (07.07), à delegada Jannira Laranjeira Siqueira Campos, na sede da Derf Cuiabá, e contou como acabou  impedindo a consumação do assalto, que ocorria na casa de seu assessor, no bairro Jardim das Américas, na noite da última terça-feira (05.07).

Os acusados Willian Regis de Oliveira Santana, conhecido como “Esquisito”, Yuri Rodrigues de Arruda, Humberto Paulo Oliveira Santana, e Elton Soares de Santos, rondavam pelo bairro esperando a oportunidade de cometer mais um assalto, quando viram um veículo sendo estacionado em uma casa. Assim que o portão abriu, três deles, armados, renderam a vítima.

O deputado, que vinha em seu veículo logo atrás do assessor, ao parar o automóvel, percebeu a situação e reagiu ao assalto. Houve troca de tiros e o suspeito Elton Soares de Santos foi atingido na região abdominal. Ele foi levado para o Pronto Socorro de Várzea Grande e permanece preso sob vigilância policial.

No veículo, estavam o deputado, dois filhos e a namorada de um deles. O deputado informou que havia passado na casa do assessor para buscá-lo, pois todos iriam sair para jantar. No depoimento, Taborelli deixou consignado que acredita na possibilidade de ter sofrido um atentado, por não ter ouvido anúncio de assalto.

A delegada Jannira Laranjeira, depois de ouvir os presos e analisar as imagens de câmeras de segurança para esclarecer as circunstâncias do assalto, disse que o roubo já estava em andamento quando o deputado chegou no local.

Os quatro bandidos foram autuados em flagrante pelos crimes de tentativa de latrocínio e associação criminosa. Os acusados já foram reconhecidos pelas vítimas de sete roubos praticados em Cuiabá, inclusive pelo deputado e o assessor.

“Identificamos que nessa ação, Humberto era o dono do veículo, Voyage preto, utilizado no crime. Ele emprestou o automóvel para Yuri, que foi reconhecido como um dos autores juntamente com Elton e Willian”, disse a delegada Jannira Laranjeira.

Roubos

Todos os suspeitos fazem parte uma quadrilha composta por pelo menos oito integrantes altamente perigosos, que eram investigados pela Delegacia de Roubos e Furtos desde abril de 2016, quando a Polícia Civil registrou o roubo em uma residência, de onde um Sandeiro foi subtraído, no bairro Morada do Ouro.

A vítima deste crime compareceu à delegacia e reconheceu os acusados. O veículo foi recuperado no mês passado e nele a Polícia Civil encontrou o número do celular de um dos assaltantes cadastrado no sistema Bluetooth do veículo, além de pertences do proprietário.

No dia 5 de maio, o bando roubou uma Honda CRV em uma casa no bairro Santa Rosa. Em 24 de maio, roubaram novamente uma residência no bairro Santa Rosa, depois foram para Campo Verde, no dia 14 de junho, e tentaram roubar uma caminhonete Amarok, mas a vítima reagiu disparando contra os suspeitos, impedindo a consumação do crime.

A quadrilha também é investigada pelo roubo ocorrido no dia 18 de junho, no bairro Sucuri, que teve como vítimas dois agentes prisionais, sendo um do sistema socioeducativo, Sidney Carlos da Silva Alves, de 40 anos, que morreu após levar 12 tiros. Ele estava internado no Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC), e morreu no último dia 27 de junho.

O mesmo grupo também é apontado como responsável pelo assalto à vereadora de Cuiabá, Lueci Ramos, que foi mantida refém no dia 28 de junho, durante roubo em uma residência no bairro Boa Esperança, e também do roubo a casa de um advogado no bairro Lixeira, em 21 de junho.

“Essas pessoas já eram investigadas pela Derf  e estão associadas para cometer roubos em bairros nobres da Capital. Em abril prendemos dois deles e a mulher de um. Todos foram identificados nesse grupo pela Polícia Civil”, finalizou a delegada Jannira Laranjeira.