Você está lendo:
Quartetos medem força no Morumbi, e Flu vê São Paulo em melhor forma
0

Quartetos medem força no Morumbi, e Flu vê São Paulo em melhor forma

by newsmtsetembro 27, 2014

Cícero, Wagner, Conca e Fred fizeram mais gols que Kaká, Ganso, Pato e Kardec,
mas são-paulinos jogaram mais partidas: “Uma vantagem deles”, admite Cristóvão

Mágico ou não, o quarteto do São Paulo merece atenção pelas jogadas trabalhadas e movimentação intensa que muitas vezes atrapalha as defesas adversárias. Apesar de vir de uma derrota em clássico e um empate – diante de Corinthians e Flamengo, respectivamente –,Ganso, Kaká, Alexandre Pato e Alan Kardec são o ponto de referência do time do Morumbi. Do outro lado, porém, também há quatro opções ofensivas que podem desequilibrar. Cristóvão ainda entrosa seu quarteto, mas a soma de gols de Cícero, Wagner, Conca e Fred é maior do que a das badaladas peças são-paulinas: 24 gols para os cariocas contra 20 dos paulistas.

Muricy encaixou esses jogadores há pouco tempo, mais precisamente após a chegada de Kaká, que fez o São Paulo crescer da zona intermediária da classificação para o grupo que hoje estaria garantido na Taça Libertadores. Até agora, o aproveitamento com os quatro em campo é muito bom: 75,9%. Foram nove jogos, com sete vitórias, um empate e uma derrota – o tropeço ocorreu na partida contra o Goiás, quando Alexandre Pato entrou no intervalo. Como titular, o quarteto do Morumbi está invicto na competição.

Com o quarteto em campo, São Paulo fez nove jogos: sete vitórias, um empate e uma derrota (para o Goiás, quando Pato começou no banco e entrou no intervalo)

A vocação ofensiva levou o São Paulo a ter o segundo melhor ataque, com 42 gols, mas também faz o time ter a sexta pior defesa, com 30 sofridos. Em sua última coletiva, após o empate contra o Flamengo, o técnico Muricy Ramalho disse que não vai mudar de estratégia.

– No futebol você tem de escolher. Temos o segundo ou terceiro melhor ataque. E todo o time que é ofensivo abre atrás. Só vamos jogar dessa maneira – afirmou o comandante, que não estará à beira do campo neste sábado, já que está internado para se recuperar de uma arritmia cardíaca.

No Rio, Cristóvão ensaia algumas variações depois de chegar a escalar um quinteto que tinha Jean de primeiro volante, mais Cícero, Wagner, Conca, Fred e Rafael Sobis – este último, porém, deve sobrar na escalação para o Morumbi. Com os quatro juntos, o Fluminense fez apenas três partidas e ainda não perdeu. Um empate em 3 a 3 com o Cruzeiro (Cícero, Wagner e Kenedy marcaram), outro com o Flamengo (outro gol do camisa 9), mais uma vitória sobre o Palmeiras por 3 a 0 (dois de Fred, um de Conca).

Com Cícero, Wagner, Conca e Fred como um quarteto, Flu fez só três jogos: uma vitória (sobre o Palmeiras) e dois empates (Cruzeiro e Flamengo)

Para o treinador do Fluminense, há semelhanças entre os dois sistemas. No entanto, ele reconhece que o quarteto são-paulino vive melhor fase. O técnico lembrou que as equipes estão entre os melhores ataques da competição – atrás do Cruzeiro, o São Paulo é o segundo com 42 gols, e o Fluminense, terceiro (37).

– O ataque deles é uma vantagem, um acerto da equipe do São Paulo, de algumas rodadas para cá. Estão mais frescos, mais motivados pela posição. É um time do mais alto nível, e vejo semelhanças com nossa equipe pelo alto número de gols marcados. Mas estamos bem próximos deles. Eles fazem muitos gols e têm movimentação muito grande, e nós jogamos de maneira parecida. Mas eles estão num momento melhor que o nosso – analisou o treinador do Fluminense.

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?