Você está lendo:
Riva diz que Taques "fugiu" do debate e é investigado pela PF

Riva diz que Taques "fugiu" do debate e é investigado pela PF

Ele disse que tem uma lista da Polícia Federal com nome do adversário

O candidato a governador José Riva (PSD) afirmou que seu adversário Pedro Taques (PDT) “fugiu” do debate, realizado nesta segunda-feira (25), pela TV Record, e não respondeu aos questionamentos.

“Ele não explicou questões como a prescrição do caso Cooperlucas, um esquema em que foram desviados R$ 230 milhões do Banco do Brasil. Ele não explicou quem é, de fato, o seu suplente de senador. Ele não explicou o porquê de seu nome estar na lista de investigados da Operação Ararath, da Polícia Federal. Ele não explicou sobre as horas de voo da campanha de 2010 para o Senado”, disse.

“Ele não explicou questões como a prescrição do caso Cooperlucas, um esquema de R$ 230 milhões. Ele não explicou o porquê de seu nome estar na lista de investigados da Operação Ararath”

“O Pedro Taques deveria saber que, quando ele voou de carona em um avião, com o então candidato a governador Mauro Mendes (PSB), deveria declarar. É assim a lei e, infelizmente, ele não fez, declarou ter seis horas de voo em 2010; deve ter voado de supersônico. Espero que alguém do Tribunal Regional Eleitoral  e do Ministério Público Federal tenha assistido o debate e tome providência. O candidato do PDT também deveria ver que a lista existe, e ele está sendo investigado na Operação Ararath”, disse.

Riva afirmou que o adversário prefere se omitir em relação aos questionamentos. “Sobre a prescrição do caso Cooperlucas, ele era o procurador-geral, e deixou na gaveta o processo do Otaviano Pivetta, mas me julga de todas as formas no período que presidi a Assembleia Legislativa”.

O candidato Riva afirmou também que “irá provar” que Taques é investigado pela Polícia Federal, na Operação Ararath.

“Quando começaram as investigações, o nome dele apareceu. Tudo está sendo investigado. A questão daoffshore no Panamá, ligada ao Fernando Mendonça, também é investigada e não adianta ele negar”, afirmou o candidato, após sair do debate na TV Record.

“Eu tenho a lista da Polícia Federal e o nome dele está lá, eu vou provar. O nome de Pedro Taques não caiu do céu no documento da PF. A Justiça só não divulga isso porque corre em segredo”, disse.

Riva afirmou também que a advogada Samira Martins, esposa de Taques, também está na lista.

“A população verá que ele está na lista da Polícia Federal, assim como a esposa dele, o chefe de gabinete dele, o escritório de advocacia e antigos financiadores políticos dele. O tempo será nosso advogado e a população, aos poucos, vai conhecendo quem é quem”, disse.

“Eu não roubei”

José Riva ainda se defendeu sobre as acusações do adversário, sobre corrupção e falta de prestação de conta a órgãos públicos.

“A grandeza do homem se conhece pela forma de lidar com problemas. Eu não roubei dinheiro, minhas contas foram todas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado”

“A grandeza do homem se conhece pela forma de lidar com problemas. Eu não roubei dinheiro, minhas contas foram todas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), assim como as deles foram pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Ninguém pode ser julgado sem ampla defesa. Hoje sou investigado judicialmente, não condenado”, disse.

Atualmente impugnado pelo TRE-MT, pela lei da Ficha Limpa, Riva acredita que reverterá o caso no TSE.

“O Ministério Público Eleitoral era o patrono da ação contra mim e eu nem tive direito de me defender. Espero que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), me oportunize isso em um julgamento isento e baseado na lei, que diz que pode ser candidato todos que não tenham dolo, enriquecimento ilícito e dano ao erário público, podem ser candidatos. Assim que sair o registro a nosso favor a nossa campanha ganhará mais força”, afirmou.

“Tenho fé que vou conseguir esse deferimento em Brasília. Tenho convicção que nos próximos dias isso será definido. Não dá pra negar que a gente não tenha tido prejuízo político, pois pediríamos estar muito melhor, mas acredito no povo de Mato Grosso”, afirmou.

 

Tem algo a dizer sobre essa matéria?