Você está lendo:
Sem-terra interditam Incra e bloqueiam rodovias do Estado
0

Sem-terra interditam Incra e bloqueiam rodovias do Estado

by newsmtjulho 28, 2015

Grupo aponta falhas na administração e pede saída do superintende regional da entidade

Integrantes de movimentos sem-terra interditaram a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária em Mato Grosso (Incra) durante toda a segunda-feira (27).

Eles pediam a saída do superintendente regional do Incra-MT, Salvador de Almeida. Ao todo, pelo menos 400 pessoas participaram do protesto.

Os manifestantes montaram acampamento na sede do Incra-MT desde as 22h de domingo (26).

De acordo com o líder do movimento, o coordenador do movimento de luta pela terra, Jaciel Alves Bueno, o principal motivo do protesto são as falhas na administração da entidade.

“Todo o dinheiro que vem pra cá some, não prestam conta. O Incra não tem nem dinheiro pra comprar papel higiênico”, afirmou.

Bueno relatou que o Incra-MT enfrenta dificuldades de repasses financeiros, por causa da administração.

“Em Brasília, a gente sentiu que não vão mandar nada até tirarem o Salvador [de Almeiada] da Superintendência”, disse.

Bruno Cidade/MidiaNews

Manifestantes tomaram conta da sede do Incra durante toda a segunda-feira (27)

Bloqueios

O grupo de manifestantes realizou paralisações em três rodovias do Estado (MTs 158, 070 e 364) nesta terça-feira (28), em protesto às decisões do Incra.

“Enquanto o Salvador não for retirado, não vamos parar com as ações”, afirmou.

Entre os grupos presentes no protesto, estavam Movimento de Luta pela Terra (MLT), Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, Movimento dos Trabalhadores Acampados (MTA), Associação a Terra é Nossa, Associação União da Vitória e Sindicato dos trabalhadores rurais de Rondonópolis.

O grupo foi retirado após possível reintegração de posse, mas afirmou que não irá desistir de protestar dentro da sede da entidade.

Outro lado

A assessoria de imprensa do Incra-MT confirmou que não houve expediente nesta segunda-feira (27), em razão do protesto dentro da sede da entidade.

O superintende do Incra-MT, Salvador de Almeida, afirmou que não há desvio de verba da administração da entidade.

“O orçamento vem sendo direcionado para atividades do Incra, temos orçamento fechado e trabalhamos em cima disso”, disse.

Ele ainda contou que retirá-lo do cargo não irá resolver os problemas enfrentados pelos sem-terra.

“Se tirar o superintendente resolvesse o problema da reforma agrária no Brasil, seria tudo mais fácil”, afirmou.

Almeida também declarou que a manifestação do grupo possui cunho político.

“Os líderes distorcem as informações para os trabalhadores, que acabam acreditando em tudo o que é dito”, disse.

Fonte: Do Mídia News

About The Author
newsmt