Menu
Seções
Taques diz que incompetência de gestão desmantelou a Saúde
abril 17, 2015 Destaques

Taques diz que não pode pedir paciência à população, pois “pessoas estão morrendo nas filas”

O governador Pedro Taques (PDT) acusou a gestão passada, sob o comando do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), de ter desmantelado os setores de atenção básica da Saúde Pública de Mato Grosso.

“A Saúde no Estado não vai bem, como sabemos. E eu não posso pedir paciência à população, pois pessoas estão morrendo nas filas, estão desesperadas. Isso é reflexo de mudanças que ocorreram de 2012 pra cá, quando houve um desmantelamento da atenção básica e primária nos municípios”, afirmou Taques.

As declarações foram feitas pelo governador, nesta sexta-feira (17), durante entrevista coletiva concedida a mais de 100 emissoras de rádio do Estado.

“A Saúde no Estado não vai bem, como sabemos. Isso é reflexo de mudanças que ocorreram de 2012 pra cá, quando houve um desmantelamento da atenção básica e primária nos municípios”

Na ocasião, ele voltou a afirmar – sem citar nomes – que os problemas encontrados na Saúde Pública são fruto da “incompetência” da gestão passada, que diminuiu repasses aos municípios.

“A população não está tendo atendimento decente. O Estado tem responsabilidade nisso. Infelizmente, as administrações passadas trataram com impotência e falta de respeito o cidadão”, disse ele.

Taques lembrou que, em 2012, foi aprovada na Assembleia Legislativa uma lei que diminuiu em quase 50% o repasse para ser aplicado na Saúde das cidades mato-grossenses.

De acordo com ele, essa medida tinha como finalidade um repasse maior de recursos para as Organizações Sociais de Saúde (OSSs), que assumiram a gestão de alguns hospitais em Mato Grosso.

Ainda segundo Taques, esses valores aos quais os municípios deixaram de ter acesso, consequentemente, deixaram de ser investidos na saúde curativa.

O governador disse, ainda, que está fazendo tratavas com a Assembleia para recompor esses valores e liberar mais repasses aos municípios.

“Delivery”

Ainda durante a entrevista, Taques afirmou que, a partir do dia 10 de maio, o Estado passará a fazer entrega dos medicamentos de alto custo e que, até então, são disponibilizados somente na sede da Farmácia de Alto Custo.

“A população não está tendo atendimento decente. Infelizmente, as administrações passadas trataram com impotência e falta de respeito o cidadão”

“A distribuição dos remédios de Alto Custo passará a ser feita na casa dos cidadãos. São quase 10 mil mato-grossenses que receberão, em casa, o remédios ao qual têm direito e que o Estado tem a obrigação de oferecer”, disse ele.

“Em 107 dias, ainda não foi possível melhorar a Saúde. Quero pedir desculpas ao cidadão por não poder resolver tudo. Mas, não estamos medindo esforços”, completou Taques.

OSSs

Por fim, o governador reiterou que o Estado e a Secretaria de Saúde estudam uma reorganização do setor, que passa, inclusive, pela manutenção ou não das Organizações Sociais de Saúde.

“Sabemos que o modelo de OSS, aqui em Mato Grosso, não está dando certo. Estamos estudando um novo modelo para que as OSS possam ser substituídas por consórcios municipais, por exemplo”, disse.

“Não podemos generalizar e dizer que todas as OSS são picaretas, pois temos exemplos de sucesso. Mas, essa discussão sobre qual será o modelo para a Saúde Pública de Mato Grosso está sendo debatida com o cidadão, com servidores do setor e com os com prefeitos”, finalizou Taques.

Fonte: Do Mídia News
Deixe uma resposta
*