Você está lendo:
"TUCANOU": Cúpula do PSDB fará filiação de Taques no dia 29, em Cuiabá
0

"TUCANOU": Cúpula do PSDB fará filiação de Taques no dia 29, em Cuiabá

by newsmtagosto 19, 2015

Governador anunciou a sua desfiliação do PDT no dia 10; filiação ao tucanato era dada como certa

As principais lideranças do PSDB, como o senador Aécio Neves (MG), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, estarão em Cuiabá, no próximo dia 29, para o ato de filiação do governador Pedro Taques (sem partido).

No início da tarde desta quinta-feira (18), a assessoria de Taques confirmou sua escolha pelo PSDB.

O deputado federal Nilson Leitão, presidente da sigla em Mato Grosso, também anunciou a filiação em sua página noFacebook.

“No PSDB a fila é maior, mas a estrutura partidária é melhor”

A decisão do governador amadureceu, principalmente, na última semana, quando ele manteve várias conversas com Alckmin e  Aécio.

O que pesou, fundamentalmente, para decisão de Taques – que admitia também a hipótese de ir para o PSB – foi a maior estrutura política, e musculatura eleitoral, do PSDB, em todo o país; e a certeza de que a sigla permanecerá na oposição à presidente Dilma Rousseff (PT).

A interlocutores, Taques disse, nos últimos dias, que não tinha como descartar um possível alinhamento do PSB à base do Governo Federal.

Durante  encontro político no último sábado (15), ele fez alusão à possível filiação ao ninho tucano.

“No PSDB, a fila é maior. Mas a estrutura partidária também é maior”, afirmou, referindo-se à projeção de seu nome em nível nacional, assim como a possíveis projetos políticos.

“Já no PSB, a fila é menor, mas a estrutura partidária é menor”, disse.

Ruptura

O governador Pedro Taques oficializou sua saída do PDT, no último dia 10, por meio de um ofício sucinto, encaminhado ao diretório do partido em Cuiabá.

A saída de Taques do PDT começou a ser especulada após os desentendimentos dele com o deputado estadual Zeca Viana, presidente regional da legenda.

A relação entre ambos ficou abalada desde o processo da eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, ocasião em que Viana acusou Taques de trocar cargos por votos para o grupo que apoiava e que, inclusive, saiu vencedor na disputa.

Assédio

Nós últimos meses, Taques passou a ser “assediado” tanto pelos tucanos, quanto pelo PSB, partido do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes. Ambos os partidos fizeram parte da coligação que o elegeu.

Mendes chegou a ir ao Palácio Paiaguás fazer um convite oficial ao governador. O convite também foi reforçado por outras lideranças da sigla, como o deputado federal Fabio Garcia.

Um dos principais argumentos utilizados pelo partido foi de que, no PSB, Taques teria um maior “protagonismo”.

Fonte: Do Mídia News

About The Author
newsmt