Você está lendo:
'Vamos sair de cabeça erguida', diz primeira-dama
0

'Vamos sair de cabeça erguida', diz primeira-dama

by newsmtdezembro 5, 2014

A primeira-dama de Mato Grosso, Roseli Barbosa, falou publicamente pela primeira vez, nesta sexta-feira (5), sobre sua atuação à frente da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas), bem como os desdobramentos da operação arqueiro, deflagrada pelo Ministério Público Estadual (MPE), que investiga fraudes em contratos assinados pela pasta com instituições.

Presente à inauguração da reforma da enfermaria da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, Roseli disse que está tranquila e que, ao final dos trabalhos do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), tudo foi esclarecido.

“Essa investigação corre em segredo. Eu fui chamada, dei todos os esclarecimentos que foram necessários, e é isso mesmo que deve ser feito, esta á a função do Ministério Público. Se houve uma denúncia, eles têm que investigar e a Setas está sendo investigada. Eu me deixei à disposição do Ministério Público, do Gaeco, no que for preciso, no que couber a mim”.

A primeira-dama pontuou que todas as contas foram prestadas e que todos os municípios receberam a qualificação necessária. “Eu já dei meu depoimento há duas semanas. As investigações estão sendo feitas. Eu fico muito tranqüila em relação a isso, tenho certeza que tudo foi esclarecido, as contas foram prestadas. Os municípios todos receberam a qualificação, e eu tenho certeza que o Ministério Público vai poder resolver isso”.

Em abril deste ano, agentes do Gaeco recolheram documentos após uma denúncia de uma suposta fraude em licitação, que teve envolvimento de servidores e institutos sem fins lucrativos. À época, Roseli ocupava a administração da pasta.

Inauguração – Com investimento de R$ 2,2 milhões, o espaço dentro da Santa Casa, na parte em que são atendidos os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), conta com mais 29 leitos, sendo 11 para oncologia.

A obra, que teve apoio da Secretaria de Cidades (Secid-MT), representada pela primeira-dama Roseli Barbosa, contou com a reforma do telhado, que apresentava goteiras há meses. Roseli salientou sobre as dificuldades do espaço, devido o prédio ser tombado.

“Tudo é muito burocrático e muito difícil porque a Santa Casa é tombada. Tudo tem que ser feito com muito critério e cautela, mas conseguimos finalizar a obra e todo telhado foi trocado e tenho que não haverá problemas por um bom tempo”.

Questionada sobre o final da gestão de seu marido, o governador Silval Barbosa (PMDB), alvo de críticas por conta dos atrasos das obras de mobilidade urbana, Roseli disse que eles se encontram seguros diante a isso, e com sentimento de ‘missão cumprida’.

“Eu estou tranquila. O que foi possível fazer, nós fizemos. Tanto o governador, como da minha parte. E nós estamos deixando o governo com tranqüilidade, de cabeça erguida e com condições para que o próximo governador continue os trabalhos”.

Mesmo em meio a crise em que a unidade de saúde passa, o presidente da entidade Antônio Preza, disse que a reforma da Santa Casa representa um avanço grande para os pacientes que necessitam do atendimento público.

“Este é um processo de reconstrução da Santa Casa, que já vem de algum tempo. A primeira obra foi a reforma do Pronto Atendimento Infantil e agora a Enfermaria, e esperamos entregar as demais reformas, com outros parceiros ainda este mês”.

Ele analisa que a quantidade de leitos ainda é insuficiente para a demanda de pacientes que chegam na unidade, mas que este número atinge a capacidade do local. “Vai melhorar bastante, mas ainda falta. Aqui no nosso hospital, esta é a nossa capacidade de leitos. Porque um hospital filantrópico, ele precisa ter 60% para o SUS e 40% para o particular. Aqui no nosso hospital nós temos 13% para quem não usa o SUS. Então agora, é interessante mobilizar a sociedade para que eles nos auxiliem nesse incremento de leitos para este tipo de paciente”.

Simone Ishizuka, repórter do GD

About The Author
newsmt

Tem algo a dizer sobre essa matéria?